Brasil

Kátia Abreu, do PDT, diz sim à Previdência e ganha parabéns de Tabata

Senadora foi a única do PDT a votar a favor da Previdência; candidata foi vice na chapa à presidência de Ciro Gomes, crítico da reforma

Kátia Abreu: nesta segunda, a senadora ajudou a desidratar a PEC com voto a favor de destaque, mas aprovou o texto-base (Antônio Cruz/Agência Brasil)

Kátia Abreu: nesta segunda, a senadora ajudou a desidratar a PEC com voto a favor de destaque, mas aprovou o texto-base (Antônio Cruz/Agência Brasil)

Victor Sena

Victor Sena

Publicado em 2 de outubro de 2019 às 17h57.

Última atualização em 2 de outubro de 2019 às 18h12.

São Paulo — A senadora Kátia Abreu foi a única senadora do PDT a dar um voto a favor da proposta de reforma da Previdência do governo Bolsonaro, aprovada em primeiro turno no Senado nesta terça-feira (2). Com Kátia, o partido tem 4 cadeiras na casa. A votação do plenário, que aprovou o texto-base, aconteceu nesta segunda-feira e terminou com um placar de 56 a 19.

Kátia Abreu foi candidata à vice-presidência na chapa de Ciro Gomes, um dos caciques do partido, e que é contra a proposta do governo Bolsonaro. Na época da votação da Previdência na Câmara dos Deputados, ele chegou a pregar punições contra os 8 deputados favoráveis à reforma, como a paulista Tabata Amaral, de 25 anos.

O presidente do PDT, Carlos Lupi, chamou os deputados de "desobedientes" e Ciro Gomes disse que "não se pode servir a dois senhores". Mesmo com pressão interna — e de eleitores — Tabata seguiu no partido e defendendo a reforma na Previdência.

Como consequência, o PDT abriu um processo para avaliar a expulsão dos parlamentares. Além disso, Tabata e os outros 7 deputados foram suspensos do partido. Na prática, não podem representar a sigla até fim do processo disciplinar.

Pelo Twitter, a deputada deu parabéns à senadora Kátia Abreu.

Aprovação no Senado

Os senadores rejeitaram nesta quarta-feira (02) as sugestões de alterações ao texto-base aprovado ontem da reforma da Previdência, os chamados destaques. Nesta segunda-feira, os senadores aprovaram um destaque que deve retirar R$ 81,7 bilhões da previsão de economia com a reforma, inclusive com o apoio da senadora Kátia Abreu.

Havia seis destaques no início da sessão de hoje: três foram retirados pelos autores e três foram derrotados em plenário. O governo precisava de apoio de 49 dos 81 senadores para cada item.

Com isso, está concluída na Casa a votação em 1º turno da reforma, que ainda precisa ser aprovada novamente em 2º turno pela mesma maioria após um intervalo de cinco sessões.

Acompanhe tudo sobre:PDTReforma da PrevidênciaTabata Amaral

Mais de Brasil

Nova bolsa de valores, 'epicentro' de data centers e inovação: as apostas do Rio para crescer

Em Porto Alegre, Defesa Civil alerta para risco de novos temporais com ‘ventos intensos’ e granizo

Ministério da Saúde amplia vacinação contra dengue; veja nova faixa etária

Reviravolta em julgamento sobre 'sobras eleitorais' pode anular eleição de sete deputados; entenda

Mais na Exame