Acompanhe:

Justiça do DF proíbe Cunha de aderir a programa de repatriação

Ex-deputado pretendia que a Justiça Federal excluísse da regra que detentores de cargos públicos pudesse aderir à repatriação de ativos

Modo escuro

Continua após a publicidade
Eduardo Cunha: ex-deputado pediu à Justiça para aderir ao programa de regularização de ativos no exterior (foto/Reuters)

Eduardo Cunha: ex-deputado pediu à Justiça para aderir ao programa de regularização de ativos no exterior (foto/Reuters)

R
Reuters

Publicado em 5 de junho de 2017 às, 12h17.

Brasília - A Justiça Federal em Brasília decidiu julgar improcedente o pedido apresentado pelo ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso desde outubro pela operação Lava Jato, de aderir ao programa de regularização de ativos no exterior.

Na sentença, o juiz Marcelo Rebello Pinheiro, da 16ª Vara do Distrito Federal, manteve o entendimento adotado na apreciação do pedido de liminar, de outubro do ano passado, que proibia o ex-deputado a participar do programa.

Cunha pretendia que a Justiça Federal excluísse da regra, prevista na lei aprovada pelo Congresso, que detentores de cargos públicos pudesse aderir à repatriação de ativos.

Para o magistrado, o critério discriminador da lei pode parecer, para o atual momento do país, compatível com o princípio da igualdade, embora em certos períodos "pareceriam ser racionalmente insubsistentes".

"E essa maior exigência de adequação à moralidade dos detentores de cargos e funções públicas quando comparados aos particulares parece justificar-se, no momento histórico pelo qual passa o Brasil atualmente, tendo em vista as diversas faltas morais e éticas que acometem aqueles que deveriam ser as referências de retidão social", afirma Pinheiro.

Na decisão de quinta-feira à noite, o juiz concluiu que essa discriminação se justifica em qualquer das perspectivas, até mesmo do ponto de vista tributário.

Na segunda-feira passada, em outro processo, a Justiça Federal do DF já havia rejeitado pedido da mulher de Cunha, Cláudia Cordeiro, de aderir ao programa de repatriação.

A lei também veda a participação de parentes de políticos detentores de cargo eletivo até segunda grau quando do lançamento do programa --era o caso de Cunha.

Últimas Notícias

Ver mais
Senado aprova isenção de IR para quem ganha até dois salários mínimos; veja o que muda
Economia

Senado aprova isenção de IR para quem ganha até dois salários mínimos; veja o que muda

Há 17 horas

Novos deputados são sorteados para relatar cassação de Chiquinho Brazão
Brasil

Novos deputados são sorteados para relatar cassação de Chiquinho Brazão

Há 22 horas

Câmara aprova urgência e acelera pacote para frear invasões do MST
Brasil

Câmara aprova urgência e acelera pacote para frear invasões do MST

Há um dia

Após embate com Padilha, Lira anuncia a líderes da Câmara que vai destravar demandas da oposição
Brasil

Após embate com Padilha, Lira anuncia a líderes da Câmara que vai destravar demandas da oposição

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais