Brasil

Irmão de Campos diz confiar que Marina vai para 2º turno

"A expectativa é de uma bela vitória e da presença do legado de Eduardo", disse o irmão do ex-presidenciável, Antônio Campos, em Recife


	Antônio Campos: irmão de Eduardo Campos confia em ida de Marina ao segundo turno
 (Reprodução/Facebook)

Antônio Campos: irmão de Eduardo Campos confia em ida de Marina ao segundo turno (Reprodução/Facebook)

DR

Da Redação

Publicado em 5 de outubro de 2014 às 17h14.

Recife - "Eduardo Campos foi o grande eleitor desta eleição em Pernambuco". A afirmação é do irmão do ex-presidenciável, advogado Antônio Campos, que participou de concorrido café da manhã no hall do prédio onde mora o candidato do PSB ao governo, Paulo Câmara, no bairro da Madalena, no Recife.

Depois da morte de Campos, no dia 13 de agosto, o seu afilhado político, de perfil técnico e desconhecido do eleitorado, Paulo Câmara, subiu nas pesquisas e aparece como vitorioso no primeiro turno de acordo com as pesquisas de opinião. "A expectativa é de uma bela vitória e da presença do legado de Eduardo".

Antônio Campos ainda confia na possibilidade de Marina Silva ir para o segundo turno. "Ainda está indefinido, vamos aguardar".

À frente de ações para garantir o seguro das famílias que tiveram danos materiais com a queda do avião que matou Campos e mais seis pessoas em Santos, ele frisou que as causas da queda da aeronave ainda não foram explicadas. "Ainda não está descartada a possibilidade de sabotagem", afirmou, ao observar que a família preferiu não dar destaque a este assunto durante o calendário eleitoral.

Acompanhe tudo sobre:CelebridadesEduardo CamposEleiçõesEleições 2014GovernadoresMarina SilvaPernambucoPersonalidadesPolítica no BrasilPolíticosPolíticos brasileiros

Mais de Brasil

Enchentes no RS: mais de 76 mil pessoas estão em abrigos; 155 mortes e 94 desaparecidos

Presidente da Anatel defende que órgão regule as plataformas digitais

Gilmar pede vista e suspende julgamento sobre mudanças na lei de improbidade

Secretário de Turismo diz que 53% das atrações públicas do RS foram danificadas

Mais na Exame