Brasil

Governo estende prazo para gestores atualizarem dados sobre obras paradas até dia 24

De acordo com o governo, o atendimento às demandas apresentadas pelos gestores locais levará em consideração a ordem de envio das informações à plataforma

A atualização é imprescindível para que o governo possa disponibilizar os recursos necessários à finalização de cada obra (Germano Lüders/Exame)

A atualização é imprescindível para que o governo possa disponibilizar os recursos necessários à finalização de cada obra (Germano Lüders/Exame)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 12 de abril de 2023 às 17h43.

Última atualização em 12 de abril de 2023 às 17h47.

O governo federal prorrogou até o dia 24 o prazo para governadores e prefeitos atualizarem informações sobre obras paralisadas na plataforma Mãos à Obra. Em nota divulgada nesta quarta-feira, 12, a Casa Civil informou que os empreendimentos inacabados que já tiveram seus dados atualizados na plataforma até esta segunda-feira, 10, começarão a ser avaliados pelos técnicos.

De acordo com o governo, o atendimento às demandas apresentadas pelos gestores locais levará em consideração a ordem de envio das informações à plataforma. A atualização é imprescindível para que o governo possa disponibilizar os recursos necessários à finalização de cada obra.

Nesta manhã, o ministro da Casa Civil, Rui Costa, afirmou que o governo federal vai publicar nos próximos dias uma medida provisória (MP) atualizando valores de obras que estão paralisadas. "Não é possível insistir que o prefeito vai arrumar recursos para obra [paralisada], porque não vai. Ou a gente atualiza o valor, ou a obra não será concluída", disse, durante evento promovido pela Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib).

Aplicativo Mãos à Obra

O aplicativo Mãos à Obra foi lançado pelo governo federal em 10 de março como ferramenta para permitir que prefeitos e governadores atualizem o estado de obras paralisadas ou inacabadas em suas regiões. A iniciativa prevê a retomada da execução de equipamentos sociais nas áreas de Saúde, Educação, Esporte, Cultura, além de unidades habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida e outros projetos que integram a carteira do Ministério das Cidades.

Acompanhe tudo sobre:GovernoObras públicas

Mais de Brasil

Eleições: PL e PT vão receber os maiores valores do fundo eleitoral; veja valor para cada partido

Comissão do Senado deve votar novo Ensino Médio nesta terça-feira; veja o que pode mudar

Governo sanciona lei que prevê plano de combate à violência contra mulher

PL do aborto: Conselho Federal da OAB aprova parecer que avalia texto como inconstitucional

Mais na Exame