Brasil

Governo brasileiro se manifesta pela 1ª vez sobre explosões no Irã e pede 'máxima contenção'

Mauro Vieira fez o pedido ao chanceler iraniano Hossein Amir-Abdollahian para evitar extensão do conflito

Mauro Vieira, ministro das Relações Exteriores (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Mauro Vieira, ministro das Relações Exteriores (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Mateus Omena
Mateus Omena

Repórter da Home

Publicado em 19 de abril de 2024 às 15h53.

Última atualização em 19 de abril de 2024 às 16h08.

Nesta sexta-feira, 19, o Ministério das Relações Exteriores divulgou o posicionamento do governo brasileiro em relação ao recente contra-ataque de Israel contra o Irã.

No texto, o ministro Mauro Vieira pediu “máxima contenção” ao governo iraniano, após ofensiva por parte do governo israelense.

“O Brasil apela a todas as partes envolvidas que exerçam máxima contenção e conclama a comunidade internacional a mobilizar esforços no sentido de evitar uma escalada”, diz o Itamaraty.

Segundo o comunicado, o apelo foi transmitido diretamente por Mauro Vieira ao chanceler do Irã, Hossein Amir-Abdollahian, em encontro bilateral ocorrido nesta sexta na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York.

Tensão Israel x Irã

O posicionamento do Itamaraty ocorreu após explosões nas proximidades de uma base militar em Isfahan, uma das maiores cidades iranianas, situada a 450 km da capital, Teerã, nesta sexta-feira.

A região abriga instalações nucleares e, de acordo com uma autoridade iraniana, os ruídos ouvidos foram resultado da ativação do sistema de defesa aérea. Não houve danos a nenhuma instalação nuclear, e a autoridade afirmou que não houve ataques de mísseis. O espaço aéreo chegou a ser fechado, e voos foram cancelados como medida de precaução.

De acordo com as autoridades iranianas, drones foram abatidos e nenhum dano significativo foi causado.

Leia a nota do Itamaraty na íntegra

"Brasil continua a acompanhar, com grave preocupação, episódios da escalada de tensões entre o Irã e Israel, desta vez com o relato de explosões na cidade iraniana de Isfahan.

O Brasil apela a todas as partes envolvidas que exerçam máxima contenção e conclama a comunidade internacional a mobilizar esforços no sentido de evitar uma escalada.

Esse apelo foi transmitido diretamente pelo Ministro Mauro Vieira ao chanceler do Irã, Hossein Amir-Abdollahian, em encontro bilateral ocorrido hoje na sede da Organização das Nações Unidas, em Nova York."

Acompanhe tudo sobre:ONUGoverno LulaIsraelConflito árabe-israelenseIrãGuerras

Mais de Brasil

Nível do Guaíba cai 17 cm em Porto Alegre e segue baixando

Adaptação das cidades à crise climática exige mudança de paradigma, dizem especialistas

Bairros, empreendimentos e cidades inteligentes

Enchentes no RS: mais de 76 mil pessoas estão em abrigos; 155 mortes e 94 desaparecidos

Mais na Exame