Acompanhe:

Gilmar Mendes determina que Carla Zambelli seja ouvida imediatamente pela PGR

Caberá ao Ministério Público investigar a parlamentar após ela ter sacado uma arma e perseguido um homem em São Paulo, na véspera do segundo turno da eleição presidencial

Modo escuro

Continua após a publicidade
Carla Zambelli: No despacho que determina a oitiva, Gilmar defendeu uma investigação do caso com um "ritmo adequado" em virtude da relevância do episódio (Michel Jesus/Câmara dos Deputados/Agência Câmara)

Carla Zambelli: No despacho que determina a oitiva, Gilmar defendeu uma investigação do caso com um "ritmo adequado" em virtude da relevância do episódio (Michel Jesus/Câmara dos Deputados/Agência Câmara)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 5 de novembro de 2022 às, 17h43.

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a deputada Carla Zambelli (PL-SP) seja ouvida imediatamente pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Caberá ao Ministério Público investigar a parlamentar após ela ter sacado uma arma e perseguido um homem em São Paulo, na véspera do segundo turno da eleição presidencial.

O depoimento foi solicitado pela própria PGR. Gilmar entendeu que os possíveis crimes vinculados à conduta da parlamentar precisam ser investigados sob supervisão do Supremo. Como deputada federal, Zambelli tem foro privilegiado no STF.

No despacho que determina a oitiva, Gilmar defendeu uma investigação do caso com um "ritmo adequado" em virtude da relevância do episódio. Em tese, o ministro citou possíveis crimes de porte ilegal e disparo de arma de fogo e "infrações penais contra a liberdade pessoal, a honra ou a vida dos envolvidos". A parlamentar diz ter sido agredida e agido em legítima defesa.

Na quinta-feira (3), a assessoria da deputada reeleita divulgou uma nota informando que Carla Zambelli estava nos Estados Unidos. Ela teve as contas nas redes sociais suspensas após incentivar a paralisação de caminhoneiros e o bloqueio de rodovias em protesto à vitória do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições.

"Destaque-se que há informações divulgadas pelos meios de comunicação que indicam que a parlamentar federal se encontra atualmente nos Estados Unidos, circunstância que certamente não é ignorada por parte da Procuradoria-Geral da República", afirmou o ministro na decisão.

Mendes afirmou que a deputada e a PGR precisarão providenciar os meios processuais e o formato do depoimento com "soluções tecnológicas", "sob pena de revelia e de prosseguimento das apurações independentemente dos esclarecimentos a serem prestados pela parlamentar". Procurada por meio de sua assessoria, Zambelli ainda não comentou a decisão.

LEIA TAMBÉM: 

Prefeito de Sorocaba está na mira do STF por incentivar bloqueio de rodovia em SP

Últimas Notícias

Ver mais
Senado debate proposta que isenta IPVA de veículos com mais de 20 anos de fabricação
Brasil

Senado debate proposta que isenta IPVA de veículos com mais de 20 anos de fabricação

Há 3 horas

PF prende dono de sítio suspeito de ajudar fugitivos de presídio de Mossoró
Brasil

PF prende dono de sítio suspeito de ajudar fugitivos de presídio de Mossoró

Há 13 horas

Em primeiro voto no STF, Dino é a favor de vínculo empregatício entre Uber e motoristas
Brasil

Em primeiro voto no STF, Dino é a favor de vínculo empregatício entre Uber e motoristas

Há 14 horas

Mendonça autoriza empresas a renegociarem acordos de leniência fechados na Lava-Jato
Brasil

Mendonça autoriza empresas a renegociarem acordos de leniência fechados na Lava-Jato

Há 15 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais