Acompanhe:

Funcionários do Banco Mundial pedem suspensão da nomeação de Weintraub

Associação diz que "muitos funcionários estão profundamente perturbados" com algumas atitudes do ex-ministro brasileiro

Modo escuro

Continua após a publicidade
Abraham Weintraub: ex-ministro da Educação foi nomeado diretor-executivo do banco (Marcelo Camargo/Getty Images)

Abraham Weintraub: ex-ministro da Educação foi nomeado diretor-executivo do banco (Marcelo Camargo/Getty Images)

A
Agência O Globo

Publicado em 24 de junho de 2020 às, 14h42.

Última atualização em 24 de junho de 2020 às, 16h01.

A associação dos funcionários do Banco Mundial (Bird) enviou uma carta nesta quarta-feira ao comitê de ética da instituição contrária à nomeação do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub para o cargo de diretor-executivo do banco. A entidade representativa pede que a indicação seja suspensa até que acusações contra o economista brasileiro sejam analisadas pelo comitê.

No documento, a associação diz que "muitos funcionários estão profundamente perturbados" com algumas atitudes do ex-ministro, entre elas o tweet em que culpa a China pela pandemia do novo coronavírus.

A carta também menciona o fato de Weintraub ter sugerido a prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e de ter feito pronunciamentos públicos contrários aos direitos de minorias e a promoção da equidade racial.

A associação ressalta que, "apesar de essa nomeação ter sido condenada por múltiplos países clientes", os funcionários do banco entendem que a indicação é uma prerrogativa do governo brasileiro. Mas fazem uma ressalva, afirmando que os membros da diretoria do banco precisam seguir o Código de Ética da instituição tanto em sua vida privada quanto em sua vida profissional.

"Nós, por isso, pedimos formalmente que o Comitê de Ética analise os fatos por trás das múltiplas alegações, com vista a (a) suspender sua nomeação até que as alegações possam ser analisadas, e (b) assegurar que o Sr. Weintraub seja informado que o tipo de comportamento que ele é acusado é completamente inaceitável nessa instituição", afirma a associação.

Os funcionários do banco ressaltam ainda que o Banco Mundial tomou medidas recentes para eliminar o racismo na instituição. "Isso quer dizer um comprometimento de todos os funcionários e membros da diretoria a denunciar o racismo quando presenciá-lo". "Nós acreditamos que o Comitê de Ética compartilha essa visão e fará o possível para cumpri-la", completa.

Últimas Notícias

Ver mais
Vai chover hoje? Rio, SP e outras capitais podem temporais nesta terça-feira; veja previsão
Brasil

Vai chover hoje? Rio, SP e outras capitais podem temporais nesta terça-feira; veja previsão

Há 3 horas

Senado debate proposta que isenta IPVA de veículos com mais de 20 anos de fabricação
Brasil

Senado debate proposta que isenta IPVA de veículos com mais de 20 anos de fabricação

Há 3 horas

PF prende dono de sítio suspeito de ajudar fugitivos de presídio de Mossoró
Brasil

PF prende dono de sítio suspeito de ajudar fugitivos de presídio de Mossoró

Há 14 horas

Em primeiro voto no STF, Dino é a favor de vínculo empregatício entre Uber e motoristas
Brasil

Em primeiro voto no STF, Dino é a favor de vínculo empregatício entre Uber e motoristas

Há 14 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais