Acompanhe:

Moradores da cidade de Mossoró (RN) relatam ter avistado nesta sexta-feira, 16, duas pessoas que podem ser os foragidos da penitenciária federal da cidade.

Os investigadores que atuam nas buscas pelos criminosos também encontraram pertences que seriam dos detentos Rogério Mendonça e Deibson Nascimento, como camisetas e uma toalha. Foram identificadas ainda pegadas que seriam dos criminosos na região.

Na manhã desta sexta, o Ministério da Justiça e Segurança Pública também prorrogou as restrições impostas aos presídios federais até o dia 21 de fevereiro, quinta-feira. A medida suspende banho de sol, visitas e atividades educacionais e religiosas nas unidades. Foi a primeira fuga de um presídio federal desde 2006, quando o modelo começou a ser implementado.

O cerco aos criminosos começou a se fechar, de acordo com autoridades e policiais que acompanham o caso. Após moradores de Mossoró terem visto os foragidos e rastros dos prisioneiros terem sido encontrados, a expectativa é de que eles sejam capturados em breve. Atualmente, cerca de 300 agentes atuam nas buscas em um perímetro de 15 quilômetros ao redor da penitenciária federal.

Conforme o ministério, os agentes utilizam drones, equipamentos que medem a temperatura corporal e aeronaves para realizar as buscas, além do apoio de forças estaduais. Essa é a primeira crise enfrentada pelo novo titular da pasta, Ricardo Lewandowski.

Detentos escalaram luminária para escapar

Na quinta-feira, 15, o ministro detalhou a dinâmica da fuga. Os criminosos escalaram uma luminária na cela, chegaram ao teto do presídio e conseguiram alcançar o pátio, onde era realizada uma obra de manutenção. Ali, encontraram uma brecha em um tapume e usaram alicate para cortar o alambrado que dá acesso ao exterior. O Estadão apurou que os detentos ficavam em celas vizinhas, o que facilitou a comunicação entre eles.

Segundo o governo federal, o presídio tinha diversas falhas em sua construção, o que também tornou a fuga mais fácil. "Outro fator é que o presídio estava passando por uma reforma interna, havia operários dentro da unidade, ferramentas que não estavam devidamente acondicionadas e trancadas", disse Lewandowski.

"Possivelmente, estavam espalhadas ao alcance das pessoas que realizaram a fuga. Havia defeitos na construção do presídio. Houve uma fuga pela luminária da cela e, ao invés de a luminária e o entorno estarem protegidos por laje de concreto, estava protegida e fechada com um simples trabalho comum de alvenaria", acrescentou o ministro.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Lewandowski vai a comissão da Câmara para falar sobre fuga de Mossoró e avanço do crime organizado
Brasil

Lewandowski vai a comissão da Câmara para falar sobre fuga de Mossoró e avanço do crime organizado

Há 21 horas

Mais avenidas de SP terão a Faixa Azul para motos; veja a lista
Brasil

Mais avenidas de SP terão a Faixa Azul para motos; veja a lista

Há um dia

Governo pede que CNJ regulamente nova lei das “saidinhas”
Brasil

Governo pede que CNJ regulamente nova lei das “saidinhas”

Há um dia

Lei das saidinhas: o que muda para os presos com sanção de Lula
Brasil

Lei das saidinhas: o que muda para os presos com sanção de Lula

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais