Acompanhe:

Focos de incêndio na Amazônia sobem 30% em 2019, diz Inpe

No ano passado, o aumento das queimadas na floresta amazônica gerou críticas internacionais à política ambiental do presidente Jair Bolsonaro

Modo escuro

Continua após a publicidade
Amazônia: primeiro ano de governo Bolsonaro foi muito criticado por posicionamentos e políticas ambientais (Gustavo Basso/Getty Images)

Amazônia: primeiro ano de governo Bolsonaro foi muito criticado por posicionamentos e políticas ambientais (Gustavo Basso/Getty Images)

R
Reuters

Publicado em 8 de janeiro de 2020 às, 21h37.

São Paulo — O número de focos de incêndios na Amazônia cresceu 30,5% em 2019 na comparação com 2018, de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

No ano passado, o aumento das queimadas na floresta amazônica gerou críticas internacionais à política ambiental do presidente Jair Bolsonaro, assim como atritos entre ele e o presidente da França, Emmanuel Macron, entre outras personalidades mundiais.

Segundo o Programa Queimadas, do Inpe, que aponta o número de focos de incêndio detectados mês a mês desde 1998, o total de foco de incêndios na Amazônia foi de 89.178 em 2019, alta de 30% na comparação com os 68.345 focos de incêndio detectados na floresta em 2018.

As queimadas, entretanto, ficaram abaixo da média da série histórica, de 109.630 focos de incêndio na Amazônia por ano, ainda de acordo com dados do Inpe.

Bolsonaro tem sido alvo de críticas de ambientalistas, que afirmam que seu governo tem desmontado estruturas de fiscalização na área e que seu discurso, de defesa de avanço da atividade econômica na floresta --como por exemplo do garimpo em terras indígenas--, tem contribuído para o aumento do desmatamento.

O presidente chegou a responsabilizar organizações não-governamentais pelo aumento das queimadas na Amazônia e também apontar para o astro de Hollywood Leonardo DiCaprio, que também é um ativista ambiental.

Em novembro, o Inpe também divulgou um crescimento de 29,5% no desmatamento da Amazônia nos 12 meses encerrados em julho, chegando a 9.762 quilômetros quadrados, maior nível em mais de uma década.

Além da Amazônia, o Projeto Queimadas do Inpe também apura o número de focos de incêndio em outros biomas do Brasil. No caso do Pantanal, as queimadas aumentaram 493%, chegando a 10.025 em 2019. A média anual é de 5.980 focos de incêndio.

Já no Cerrado, os focos de incêndio aumentaram 62% no ano passado, na comparação com 2018, para 63.874 focos, patamar similar à média anual apurada pelo Inpe, de 68.650.

Últimas Notícias

Ver mais
Lula defende Lei Rouanet e volta a criticar Bolsonaro ao sancionar Sistema Nacional de Cultura
Brasil

Lula defende Lei Rouanet e volta a criticar Bolsonaro ao sancionar Sistema Nacional de Cultura

Há 8 horas

Governo deve prorrogar isenção de vistos para turistas dos EUA, Japão, Canadá e Austrália
Brasil

Governo deve prorrogar isenção de vistos para turistas dos EUA, Japão, Canadá e Austrália

Há 16 horas

Governo lança medidas para evitar invasões do MST no 'abril vermelho' e causa desgaste com o agro
EXAME Agro

Governo lança medidas para evitar invasões do MST no 'abril vermelho' e causa desgaste com o agro

Há 17 horas

Do PT de Lula ao PSL de Bolsonaro: veja todos os partidos pelos quais Datena passou antes do PSDB
Brasil

Do PT de Lula ao PSL de Bolsonaro: veja todos os partidos pelos quais Datena passou antes do PSDB

Há 18 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais