Brasil

É bom Dilma melhorar o seu perfil no LinkedIn, diz CNN

No texto, a emissora defende que o resultado da votação no Senado foi um choque não apenas para a ex-presidente, mas para todo o Partido dos Trabalhadores


	Dilma Rousseff: segundo a emissora, pesou contra Dilma a crise na qual o país está imerso
 (REUTERS/Bruno Kelly)

Dilma Rousseff: segundo a emissora, pesou contra Dilma a crise na qual o país está imerso (REUTERS/Bruno Kelly)

Maurício Grego

Maurício Grego

Publicado em 1 de setembro de 2016 às 13h06.

São Paulo - Em um pequeno guia para explicar a seus leitores o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), a rede americana CNN adotou hoje um tom para lá de informal.

“É bom Dilma Rousseff melhorar o seu perfil no LinkedIn”, brincou a reportagem, assumindo que a petista está agora em busca de emprego.

No texto, a emissora defende que o resultado da votação no Senado foi um choque não apenas para a ex-presidente, mas para todo o Partido dos Trabalhadores, que governou o país por mais de uma década.

A CNN lembra que a ex-presidente foi condenada por mascarar as contas do governo, contraindo empréstimos de bancos estatais sem a autorização do Congresso.

Mais do que isso, segundo a emissora, pesou contra Dilma a crise na qual o país está imerso. “A Constituição não permite um voto de desconfiança. Então, o impeachment foi o único caminho a ser seguido”. 

Sobre o futuro da petista, a CNN ressalta que “ainda não vimos o fim de Dilma Rousseff”, uma vez que ela segue com o direito de ocupar cargos públicos. Por fim, a rede lembra que a presidência foi assumida pelo PMDB, “que também não é exatamente [um partido] limpo”.

Acompanhe tudo sobre:CNNDilma RousseffEmpresasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaLinkedInPersonalidadesPolítica no BrasilPolíticosPolíticos brasileirosPT – Partido dos Trabalhadores

Mais de Brasil

Enchentes paralisaram 63% das indústrias gaúchas, revela pesquisa

Prejuízos com chuvas no RS superam R$ 12 bilhões; setor habitacional é o mais afetado

Presidente do Solidariedade, alvo de operação da PF, se entrega em Brasília

Inscritos no Enem saltam e atingem 5 milhões; MEC prorroga inscrições para gaúchos até dia 21

Mais na Exame