Brasil

Depoimento de Lula em processo da Zelotes é remarcado

Nova data é 21 de junho; há a possibilidade de na época do interrogatório o ex-presidente estar preso

Lula: depoimento do petista na Zelotes estava inicialmente previsto para o dia 20 de fevereiro (Ricardo Moraes/Reuters)

Lula: depoimento do petista na Zelotes estava inicialmente previsto para o dia 20 de fevereiro (Ricardo Moraes/Reuters)

R

Reuters

Publicado em 14 de março de 2018 às 16h04.

Brasília - A Justiça Federal de Brasília remarcou para o dia 21 de junho, às 9h, depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros réus em processo a que respondem por suspeita de irregularidades na compra do governo brasileiro dos caças suecos, sob investigação da operação Zelotes.

Há a possibilidade de na época do interrogatório o ex-presidente estar preso, uma vez que até lá os recursos contra a condenação do petista pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), no caso do tríplex do Guarujá (SP), devem já ter sido apreciados. A pena dele poderá ser executada após essa etapa.

O depoimento do petista na Zelotes estava inicialmente previsto para o dia 20 de fevereiro, mas, ao acatar recurso dos advogados dele, foi suspenso por ordem do Tribunal Regional Federal da 1ª Região sob o argumento de que Lula só poderia ser ouvido após depoimentos de testemunhas arroladas pela defesa.

Também vão depor em junho o filho do ex-presidente Luís Cláudio Lula da Silva e o casal Mauro e Cristina Marcondes, também réus na ação.

"Hei por bem considerar a data da decisão do tribunal, de 20 de fevereiro de 2018, para reinício da contagem dos quatro meses/120 dias. Por tais razões, redesigno os interrogatórios dos réus acima mencionados para o dia 21/06/2018, às 09h00", decidiu o juiz Vallisney de Souza Oliveira.

O magistrado também determinou o cumprimento de decisão do TRF-1 que havia ordenado o desbloqueio de 8 milhões de reais em favor de Mauro e Cristina Marcondes.

 

Acompanhe tudo sobre:JustiçaLuiz Inácio Lula da SilvaOperação Zelotes

Mais de Brasil

Secretário de Turismo diz que 53% das atrações públicas do RS foram danificadas

Prefeito de Canoas diz que reconstrução de prédios públicos demanda mais de R$ 200 milhões

OPINIÃO: Nunca esqueceremos

Enchentes no RS: sobe para 155 o número de mortos; 94 pessoas seguem desaparecidas

Mais na Exame