Brasil

Delegados da PF cobram reajuste salarial do governo Lula

Pressão da categoria ocorre desde o governo de Jair Bolsonaro, quando polícias fizeram atos

PF: categoria cobra uma resposta urgente do governo Lula  (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

PF: categoria cobra uma resposta urgente do governo Lula (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 10 de agosto de 2023 às 14h23.

Insatisfeitos com os salários, delegados e policiais federais pressionam o governo Lula por recomposição. Uma carta aberta entregue nesta semana por entidades de classe ao diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Passos Rodrigues, cobra uma resposta urgente sobre o assunto.

"O clima é de extrema apreensão de todas as categorias, sendo imperativo que tenhamos alguma sinalização concreta sobre a recomposição salarial", diz o documento.

Fique por dentro das últimas notícias no Telegram da Exame. Inscreva-se gratuitamente

Os servidores federais tiveram reajuste de 9% em maio, mas segundo as associações da PF o aumento não foi suficiente para cobrir a defasagem na carreira. "Sem as presentes proposições ou previsões orçamentárias e respectivas aprovações, as promessas de valorização da Polícia Federal e da reestruturação ora propagandeadas por esta Direção-Geral e pelo próprio Ministro da Justiça, serão perdidas", afirmam.

A pressão da categoria se arrasta desde o governo Jair Bolsonaro. Policiais chegaram a fazer atos e operações tartaruga na fiscalização de passageiros e de cargas.

A carta é assinada pelos presidentes da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (Fenadepol) e do Sindicato Nacional dos Servidores do Plano Especial de Cargos da Polícia Federal (Sinpecpf).

Acompanhe tudo sobre:Polícia FederalSaláriosGoverno Lula

Mais de Brasil

SP inicia campanha de vacinação contra paralisia infantil

Rio Grande do Sul tem novo alerta de perigo para chuvas e ciclone

Em depoimento, Lessa diz que controlaria milícia e receberia US$ 10 milhões para matar Marielle

Como vão funcionar os embarques e desembarques em Canoas?

Mais na Exame