Brasil

CPI do 8 de Janeiro: Líder do governo no Congresso diz que Eliziane Gama deve ser a relatora

Opção pela parlamentar ocorre após o favorito para a vaga, senador Eduardo Braga (MDB-AM), desistir de participar do colegiado

A opção pela parlamentar ocorre após o favorito para a vaga, senador Eduardo Braga (MDB-AM), desistir de participar do colegiado (Flickr/Flickr)

A opção pela parlamentar ocorre após o favorito para a vaga, senador Eduardo Braga (MDB-AM), desistir de participar do colegiado (Flickr/Flickr)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 25 de maio de 2023 às 10h27.

O líder do governo no Congresso, senador Randolfe Rodrigues (sem partido-AP), afirmou que a senadora Eliziane Gama (PSB-MA) deve ser a escolhida para relatar a CPI do 8 de Janeiro. A opção pela parlamentar ocorre após o favorito para a vaga, senador Eduardo Braga (MDB-AM), desistir de participar do colegiado.

Pelo acordo, o deputado Arthur Maia (União-BA), aliado do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e considerado da ala do União Brasil que não se classifica nem como base e nem como oposição. Como vice-presidente, o nome escolhido deve ser o do senador Cid Gomes (PDT-CE). A sessão de instalação da CPI está marcada para a manhã desta quinta-feira.

— Será a senadora Eliziane — disse Randolfe quando questionado sobre o relator. Ele chegou para participar da sessão acompanhando de Arthur Maia, que confirmou que irá presidir o colegiado.

Regimentalmente, quem comanda a sessão de instalação é o parlamentar mais velho, nesse caso o senador Otto Alencar (PSD-BA), que até a noite de quarta-feira manteve a intenção instalar a CPI hoje. Parlamentares de oposição também desejam que a instalação aconteça nesta quinta. A comissão já tem todos os seus membros indicados.

Alencar confirmou haver acordo para que Eliziane seja a relatora, Arthur Maia presidente e o senador Cid Gomes (PDT-CE), o vice-presidente.

Na véspera, o governo sofreu revezes com a bancada do MDB. O Palácio do Planalto contava com a presença dos senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Eduardo Braga (MDB-AM) na linha de frente da CPI. Ambos inclusive eram cotados para serem relatores.

No entanto, os parlamentares têm reclamado da falta de estratégia de governo. Também pesou a rivalidade entre Lira e Renan. O presidente da Câmara chegou a vetar a presença do senador do MDB na relatoria. Diante disso, Renan preferiu não participar da comissão.

Da mesma forma, Braga, que é o líder do partido, também tem reclamado da falta de articulação do governo. Os dois se reuniram com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta e, após o encontro, Braga decidiu indicar os senadores Marcelo Castro (PI) e Veneziano Vital do Rêgo (PB) para a CPI mista.

No PSD também houve queixas. O senador Omar Aziz (PSD-AM) chegou a pedir a Otto Alencar, líder do partido, para retirar seu nome da CPI mista. Apesar disso, Aziz foi convencido a ficar na comissão. Ainda assim, o senador não considera a comissão seu foco, pois irá ser relator do arcabouço fiscal e vai se debruçar mais sobre esse tema

Acompanhe tudo sobre:Câmara dos DeputadosCPMI do 8 de janeiro

Mais de Brasil

Moraes dá 10 dias para SP explicar modelo de escolas cívico-militares

Cultura pede recursos para evitar fechamento dos museus da República, Histórico Nacional e Imperial

Saiba quais ministros do STF ainda vão se posicionar sobre o porte de maconha para uso pessoal

Mais na Exame