Acompanhe:

Conflito entre índios e produtores rurais é tema de reunião

O maior empecilho é a exigência dos produtores para que a indenização pelas áreas produtivas a serem desapropriadas leve em conta o valor de mercado da terra

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Índios no Congresso: a expectativa do governo do Mato Grosso do Sul é que o governo federal destine recursos públicos ao Fundo Estadual de Terras Indígenas
 (Agência Brasil)

Índios no Congresso: a expectativa do governo do Mato Grosso do Sul é que o governo federal destine recursos públicos ao Fundo Estadual de Terras Indígenas (Agência Brasil)

D
Da Redação

Publicado em 7 de janeiro de 2014 às, 10h53.

Brasília – O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e a governadora em exercício do Mato Grosso do Sul, Simone Tebet, se reúnem esta tarde (7), em Brasília, para discutir possíveis soluções para o conflito fundiário entre índios e produtores rurais sul-mato-grossenses.

Simone está substituindo o governador André Puccinelli, que está de férias.

A expectativa do governo do Mato Grosso do Sul é que o governo federal destine recursos públicos ao Fundo Estadual de Terras Indígenas (Fepati), instituído por lei estadual no ano passado com o propósito de captar recursos financeiros para indenizar produtores cujas terras, devidamente regularizadas, sejam desapropriadas para a criação de reservas indígenas.

A indenização aos produtores afetados pela disputa por terras vem sendo discutida há tempos, mas ganhou força em meados de 2013, após os terenas Osiel Gabriel e Josiel Gabriel Alves terem sido mortos a tiros.

O acirramento dos ânimos levou os governos federal e estadual a criarem três comissões que, com a participação de lideranças indígenas, ruralistas e representantes do Poder Judiciário, deveriam propor soluções para o problema. Na ocasião, a pedido de Puccinelli, a Força Nacional foi enviada para o estado para tentar conter os conflitos.

O maior empecilho à proposta é a exigência dos produtores rurais para que a indenização pelas áreas produtivas regularizadas a serem desapropriadas leve em conta não só as melhorias feitas pelos fazendeiros, mas também o valor de mercado da terra.

E, ainda, que o valor devido seja pago em dinheiro. Para alguns, isso exigiria mudanças nas leis, já que a Constituição Federal trata exclusivamente da indenização pelas benfeitorias.

Para outros, no entanto, o governo federal pode repassar os recursos necessários para o Fepati e o governo estadual poderia mais facilmente criar mecanismos legais para indenizar os produtores pela chamada terra nua.

“A solução depende agora da liberação de recursos do governo federal. O Estado fez a sua parte. Criou mecanismos, contribuiu para o entendimento e participará ativamente com este espírito da reunião que acontece na terça-feira (7) com o Ministério da Justiça, em Brasília”, disse o governador André Puccinelli na última sexta-feira (3), durante reunião com Simone Tebet e técnicos do estado para avaliar os pontos a serem tratados na reunião de hoje.

Outra opção em debate é a utilização de terras tomadas de narcotraficantes ou de terras devolutas.

Últimas Notícias

Ver mais
Seleção do júri de julgamento de Trump entra na fase final
Mundo

Seleção do júri de julgamento de Trump entra na fase final

Há 3 horas

Dia dos Povos Indígenas: 1 em cada 5 brasileiros manifesta preconceito em relação aos indígenas
ESG

Dia dos Povos Indígenas: 1 em cada 5 brasileiros manifesta preconceito em relação aos indígenas

Há 5 horas

Lula diz que governo trabalha para assinar outras quatro terras indígenas
Brasil

Lula diz que governo trabalha para assinar outras quatro terras indígenas

Há 8 horas

Dia dos Povos Indígenas: por que a data é celebrada em 19 de abril?
Pop

Dia dos Povos Indígenas: por que a data é celebrada em 19 de abril?

Há 15 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais