Brasil

Chamado de candidato, Alckmin exalta "garra" dos trabalhadores

Governador aproveitou o evento para acenar com uma aliança entre o PSDB e o Solidariedade

Geraldo Alckmin: "o meu primeiro compromisso é emprego e renda; o segundo compromisso é emprego e renda; o terceiro compromisso é emprego e renda" (José Cruz/Agência Brasil)

Geraldo Alckmin: "o meu primeiro compromisso é emprego e renda; o segundo compromisso é emprego e renda; o terceiro compromisso é emprego e renda" (José Cruz/Agência Brasil)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 22 de setembro de 2017 às 12h28.

São Paulo - Ao ser convidado por Paulinho da Força, presidente do Solidariedade e deputado federal, para falar na manhã desta sexta-feira, 22, na Convenção Nacional do partido, o governador, Geraldo Alckmin (PSDB), teve sua candidatura ao Palácio do Planalto em 2018 reforçada pelo sindicalista. "Tenho a honra de passar a palavra ao nosso amigo e candidato a presidente, Geraldo Alckmin", declarou Paulinho.

Alckmin teve uma participação breve, mas suas palavras foram muito bem recebidas pelos presentes no auditório do Palácio dos Trabalhadores, em São Paulo.

"Se o Brasil cresceu e é hoje a sétima ou oitava maior economia do mundo, isso se deve à garra e à luta da classe trabalhadora. Não foi a consciência das elites que trouxe os avanços que o Brasil alcançou", afirmou o governador, que declarou compromisso com a causa trabalhadora.

"O meu primeiro compromisso é emprego e renda; o segundo compromisso é emprego e renda; o terceiro compromisso é emprego e renda", disse Alckmin, arrancando aplausos da plateia.

O governador aproveitou o evento para acenar com uma aliança entre o PSDB e o Solidariedade. "Contem conosco, queremos ter um diálogo permanente com o Solidariedade, para acertar mais e avançar mais. O momento é difícil, mas a esperança é a palavra."

Um novo encontro público entre Alckmin e seu afilhado político e prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), acabou não ocorrendo. O governador deixou o encontro após seu pronunciamento, enquanto João Doria é esperado por volta da hora do almoço. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também é aguardado.

Olímpio

Geraldo Alckmin voltou a se encontrar com o deputado federal Major Olímpio (SD-SP), que, no sábado, 16, bateu boca com o tucano ao promover um protesto em São Carlos, interior paulista, em defesa de reajustes salariais de agentes de segurança pública.

Os dois participaram da abertura da convenção nacional do Solidariedade. O parlamentar assistiu ao evento, mas não foi chamado para compor a bancada de autoridades, onde Alckmin estava posicionado.

Samba

Além de autoridades filiadas ao Solidariedade, dirigentes e militantes, o evento conta com a participação de uma bateria de samba e muitas pessoas portando bandeiras alaranjadas, cor do Solidariedade. Fundado em 2013, o partido está à frente de 64 prefeituras e conta com cerca de 250 mil afiliados.

Acompanhe tudo sobre:Eleições 2018Geraldo AlckminPaulinho da ForçaPSDB

Mais de Brasil

Reforma tributária: relatório será entregue dia 3, após reunião geral com governadores

Chuvas no RS: 74 municípios sofreram danos por alagamentos e deslizamentos nos últimos 10 dias

UPA: o que você precisa saber para ser atendido

Passaporte brasileiro: quanto custa e como tirar

Mais na Exame