Mandetta estima que casos de coronavírus vão subir até junho

Ministério da Saúde atualizou para 290 os casos de pacientes com coronavírus no país; São Paulo registrou primeira morte

Subiu para 290 o número de infectados pelo coronavírus (Covid-19) no Brasil, de acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Saúde na tarde desta terça-feira, 17. Na segunda-feira 16 eram 234 casos confirmados.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, estima que os números vão aumentar exponencialmente até o fim de junho. “Estamos imaginando que vamos trabalhar com espirais ascendentes entre abril, maio e junho. Passaremos de 60 a 90 dias de muito estresse e teremos sobrecarga”, diz Mandetta.

Segundo as estimativas, em julho os casos deverão entrar em recessão e em agosto e setembro o cenário deverá estar voltando a patamares menores. “Desde que a gente construa a chamada imunidade em mais de 50% das pessoas”, disse.

Mandetta ainda alertou para que as famílias cuidem principalmente dos idosos. “Quanto menos idosos tivermos com o coronavírus, menos pressão colocaremos nos leitos de CTI (Centro de Terapia Intensiva)”, afirmou.

O que chama a atenção nessa divulgação é que o número de suspeitos quadruplicou em um dia: foi de 2.000 para 8.819. Segundo a pasta, o aumento repentino foi causado por uma atualização de sistema. Anteriormente, os estados estavam com dificuldade de informar ao órgão federal os pacientes investigados.

A apresentação de hoje ainda não traz a primeira morte causada pela doença, que foi registrada no estado de São Paulo e confirmada pela Secretaria de Saúde. Existem outros quatro óbitos do mesmo hospital que ainda estão sendo investigados.

Os dados do Ministério da Saúde são atualizados até as 13 horas e divulgados por volta das 16 horas, por isso ainda não aparece essa morte.

São Paulo é o estado que registra o maior número de casos, com 164. Por causa disso, nesta terça começaram a valer diversas ações de isolamento determinadas pelo governador João Doria (PSDB). Entre elas estão a suspensão das aulas na rede pública de ensino e o fechamento de bibliotecas, museus e centros culturais por até 30 dias.

O Rio de Janeiro decretou estado de emergência na saúde para frear o aumento do número de casos, que chegou a 33. Entre as medidas adotadas está a suspensão por 15 dias de eventos e atividades com a presença de público.

Pela primeira vez, o Ceará aparece na lista com cinco casos confirmados de Covid-19. No Nordeste ainda há infectados em Pernambuco (16), Sergipe (4), Bahia (3), Alagoas (1) e Rio Grande do Norte. Agora, todas as regiões têm infectados pelo coronavírus.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.