Acompanhe:

Bolsonaro não vai a debate por temer ataque terrorista, diz general Heleno

"Ele está realmente ameaçado, não é um mero tiro de snipper, é um atentado terrorista onde tem uma organização criminosa", afirmou o militar em vídeo

Modo escuro

Continua após a publicidade
General Heleno: Bolsonaro já afirmou que militar deve ser escolhido para ser ministro da Defesa, caso seja eleito (Ueslei Marcelino/Reuters)

General Heleno: Bolsonaro já afirmou que militar deve ser escolhido para ser ministro da Defesa, caso seja eleito (Ueslei Marcelino/Reuters)

R
Ricardo Brito, da Reuters

Publicado em 25 de outubro de 2018 às, 14h23.

Última atualização em 31 de outubro de 2018 às, 14h21.

O general da reserva do Exército Augusto Heleno afirmou, em vídeo divulgado na tarde desta quinta-feira, 25, no Twitter que o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, não vai comparecer a debates antes do segundo turno das eleições porque há uma ameaça de ele ser alvo de um "atentado terrorista" que estaria sendo articulado por uma "organização criminosa".

O vídeo com a fala de Heleno foi divulgado no Twitter em uma conta intitulada "General Mourão", em referência ao candidato a vice-presidente da chapa, o também general da reserva do Exército Hamilton Mourão. A reportagem não conseguiu contato com o candidato a vice para atestar que a conta é dele.

https://twitter.com/GeneraIMourao/status/1055495010446118912

Segundo Heleno, um dos principais integrantes da campanha de Bolsonaro e já anunciado por ele como futuro ministro da Defesa, caso eleito, há uma "recomendação de que toda vez que fosse sair de casa fizesse um vasculhamento no entorno da casa dele e jamais saísse de casa com hora marcada".

"Então, o comparecimento ao debate, que muita gente está vinculando ao medo de ele sair ou de debater com o (Fernando) Haddad, não se trata disso. Ele está realmente ameaçado, não é um mero tiro de snipper, é um atentado terrorista onde tem uma organização criminosa - que não vou citar o nome por motivos óbvios - envolvida, comprovada por mensagens, por escutas telefônicas, então isso é absolutamente verídico", disse.

Não é a primeira vez que tentam atribuir ataques e ameaças a Bolsonaro a organizações criminosas. Na quarta-feira, 24, o presidente do PSL, Gustavo Bebianno, afirmou que existem "fortes indícios" de que o atentado realizado contra o candidato do PSL à Presidência, no qual ele foi esfaqueado, tenha sido articulada por membros do crime organizado.

O debate da TV Globo - líder de audiência no país - estava previsto para ocorrer na sexta-feira, mas foi cancelado diante do anúncio do não comparecimento de Bolsonaro, líder com folga das pesquisas de intenção de voto.

Além de Mourão, a reportagem também tentou entrar em contato com Heleno a fim de obter detalhes sobre as declarações, mas também não conseguiu.

Últimas Notícias

Ver mais
Lira diz que Lula e PT devem apoiar seu candidato à presidência da Câmara
Brasil

Lira diz que Lula e PT devem apoiar seu candidato à presidência da Câmara

Há 3 horas

Polícia suspeita que fugitivos de Mossoró receberam apoio de facção e estejam no Ceará
Brasil

Polícia suspeita que fugitivos de Mossoró receberam apoio de facção e estejam no Ceará

Há 3 horas

PEC que limita candidaturas de militares vai ser debatida em sessão temática no Senado
Brasil

PEC que limita candidaturas de militares vai ser debatida em sessão temática no Senado

Há 4 horas

STF começa a julgar recursos contra decisão que anulou condenação bilionária da Petrobras
Brasil

STF começa a julgar recursos contra decisão que anulou condenação bilionária da Petrobras

Há 4 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais