Acompanhe:

Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

Bolsonaro: “juros ainda altos”; Erdogan perde Istambul; Lava-Jato quer manter Palocci

Modo escuro

Continua após a publicidade
ISTAMBUL: eleitores comemoram vitória de Ekrem Imamoglu, opositor do presidente Recep Erdogan / REUTERS/Kemal Aslan

ISTAMBUL: eleitores comemoram vitória de Ekrem Imamoglu, opositor do presidente Recep Erdogan / REUTERS/Kemal Aslan

R
Redação Exame

Publicado em 24 de junho de 2019 às, 07h04.

Última atualização em 24 de junho de 2019 às, 07h32.

Bolsonaro: “juros ainda altos”

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a avaliar, na tarde deste domingo, 23, que os juros estão altos no Brasil. Em um post no Twitter, acompanhado de um vídeo com elogios e detalhes do Plano Agrícola e Pecuário 2019/2020, anunciado terça-feira, 18, Bolsonaro escreveu: “Boas notícias para o campo, mas reconhecemos que os juros ainda estão altos no Brasil”. A postagem do presidente foi retuítada, entre outros, pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

Lava-Jato quer manter Palocci

A força-tarefa da Operação Lava Jato solicitou ao juiz federal Luiz Antonio Bonat, da 13.ª Vara Federal, que mantenha sob sua competência um inquérito ligado ao ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda/Casa Civil – Governos Lula e Dilma). O Ministério Público Federal manifestou-se de forma contrária ao pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para que a investigação seja remetida, na ordem, à Justiça Eleitoral ou à Estadual ou à Federal de Brasília ou de São Paulo. A defesa de Lula alegou a incompetência da 13.ª Vara Federal ‘para supervisionar as investigações’. Os advogados argumentaram que “há inúmeros elementos indiciários a sugerir a prática de crimes de natureza eleitoral e, subsidiariamente, que a Justiça Estadual detém competência para exercer o controle sobre as investigações”.

Opositor vence em Istambul

O candidato opositor Ekrem Imamoglu, do partido social-democrata CHP, foi eleito prefeito de Istambul, neste domingo. Com a vitória de hoje da oposição, é a primeira vez em 25 anos que a maior cidade da Turquia não será comandada pelo partido do presidente turco Recep Tayyip Erdogan. De acordo com a agência estatal de notícias, Imamoglu recebeu 54% de 95% dos votos apurados, enquanto o candidato governista Binali Yildirim, do partido da justiça e do desenvolvimento AKP, recebeu 45%. Yildirim, ex-primeiro-ministro turco, admitiu a derrota e parabenizou o concorrente.

Plano de paz para Oriente Médio

Os Estados Unidos anunciaram neste sábado que o plano de paz para o Oriente Médio que apresentarão nos próximos dias no Barein busca levantar mais de 50 bilhões de dólares e criar 1 milhão de postos de trabalho para os palestinos. Ao revelar detalhes do plano, batizado de Da Paz à Prosperidade, o governo de Donald Trump disse que a iniciativa pretende reformar a economia palestina, gerar mais investimentos estrangeiros e melhorar radicalmente a infraestrutura e governança interna na Cisjordânia e Faixa de Gaza. A conferência será realizada na terça e quarta-feira em Manama, liderada pelo genro e conselheiro do presidente americano, Jared Kushner.

Uma questão contra Johnson

Relatos de uma acalorada discussão durante a madrugada entre Boris Johnson e sua namorada levantaram neste domingo um debate sobre o quanto isso afetaria sua campanha para se tornar o próximo primeiro-ministro do Reino Unido e sua viabilidade para assumir o cargo, para o qual ele é atualmente o favorito. Pesquisas conduzidas pelo jornal Mail on Sunday antes e depois de reportagens de capa sobre a discussão mostram que a vantagem de Johnson sobre o rival Jeremy Hunt, ministro das Relações Exteriores, evaporou entre todos os eleitores e diminuiu mesmo entre conservadores.

Tchecos pedem saída de premier

Uma manifestação reuniu neste domingo cerca de 250 mil pessoas em Praga, segundo os organizadores e a imprensa local, para pedir a renúncia do premier tcheco, Andrej Babis, suspeito de fraude, no maior protesto no país desde a queda do comunismo, em 1989. A mobilização foi organizada por Mikulas Minar, reponsável pela ONG Um Milhão de Momentos para a Democracia. Os participantes se dirigiram simbolicamente até a esplanada de Letna, lugar memorável de protestos gigantescos contra o antigo regime totalitário em 1989, em que o dramaturgo e dissidente Vaclav Havel, futuro presidente, dirigia-se à multidão.

O novo diretor da FAO

O chinês Qu Dongyyu foi eleito neste domingo diretor geral da Agência da ONU para a Agricultura e Alimentação (FAO), confirmando o interesse da China em temas alimentares e em cargos de alta responsabilidade em instâncias internacionais. Qu, 55, biólogo e vice-ministro da Agricultura em seu país, é o primeiro chinês neste cargo, em que substitui o brasileiro José Graziano da Silva após dois mandatos. Esta eleição é fundamental porque o novo diretor geral da FAO terá que enfrentar um dos maiores desafios da humanidade, o aumento da fome no mundo devido ao efeito combinado do aquecimento global e dos conflitos, especialmente na África e no Oriente Médio.

Últimas Notícias

Ver mais
Baixo crescimento do Brasil nas últimas décadas se deve a impostos e juros altos, diz Alckmin
Economia

Baixo crescimento do Brasil nas últimas décadas se deve a impostos e juros altos, diz Alckmin

Há 3 dias

BCE pode ter razões para cortar juros antes do Fed pela primeira vez, diz Gavekal
seloMercados

BCE pode ter razões para cortar juros antes do Fed pela primeira vez, diz Gavekal

Há 6 dias

Omã abre mercado para bovinos vivos ao Brasil, informa Ministério da Agricultura
EXAME Agro

Omã abre mercado para bovinos vivos ao Brasil, informa Ministério da Agricultura

Há uma semana

Ranking de FIIs: os 10 melhores fundos de tijolo e de papel em janeiro, segundo a Quantum
seloMercado imobiliário

Ranking de FIIs: os 10 melhores fundos de tijolo e de papel em janeiro, segundo a Quantum

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais