Brasil

Base de dados de biometria do TSE pode ser usada para documento único

"Já faz dez anos que o governo tenta simplificar a vida dos cidadão por meio de um documento único", disse Gustavo Bebianno

Biometria poderá ser usada para criação de um documento único e identidade (Dado Galdieri/Bloomberg)

Biometria poderá ser usada para criação de um documento único e identidade (Dado Galdieri/Bloomberg)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 14 de janeiro de 2019 às 20h24.

Brasília - O ministro-chefe da secretaria-geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, disse nesta segunda-feira, 14, que o governo poderá usa a base de dados de biometria do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no projeto de criar uma carteira de identidade única nacional. Ele participou de reunião no Ministério da Justiça com o titular da pasta, Serio Moro.

"Já faz dez anos que o governo tenta simplificar a vida dos cidadão por meio de um documento único que possa incluir identidade, CPF, titulo de eleitor, habilitação e quem sabe até mesmo o passaporte", afirmou o ministro ao deixar a reunião onde os titulares da Economia, Paulo Guedes, e da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, também estiveram presentes.

Perguntado sobre o decreto que trata de regras para uso de armas, Bebianno disse não estar a par do texto, mas considerou ser "ideal" um prazo de dez anos para renovação da autorização do porte.

Também questionado sobre a Medida Provisória contra fraudes em benefícios previdenciários e assistenciais, disse que pode ser publicada amanhã.

Acompanhe tudo sobre:BiometriaDocumentaçãoGoverno BolsonaroGustavo BebiannoTSE

Mais de Brasil

Bolsonaristas criticam Moraes por derrubar norma sobre aborto; governistas apoiam decisão

Enchentes agora atingem SC; mais de 800 estão fora de casa devido a inundações

Nível do Guaíba cai 17 cm em Porto Alegre e segue baixando

Adaptação das cidades à crise climática exige mudança de paradigma, dizem especialistas

Mais na Exame