Brasil

Assédio de brasileiros a mulher na Rússia gerou 74 tuítes por minuto

Apesar de elevada taxa de rejeição à atitude do grupo, há também postagens que relativizam repercussão do caso

russia-machismo Twitter/Reprodução (Twitter/Reprodução)

russia-machismo Twitter/Reprodução (Twitter/Reprodução)

Talita Abrantes

Talita Abrantes

Publicado em 21 de junho de 2018 às 18h54.

Última atualização em 24 de junho de 2018 às 15h54.

São Paulo – Em quatro dias, o vídeo de um grupo de brasileiros insultando uma estrangeira durante a Copa do Mundo na Rússia mobilizou 134,3 mil postagens no Twitter. Só na noite de terça-feira (19), quando houve um pico de posts, foram 74 tuítes por minuto, segundo relatório do DAPP/FGV divulgado hoje.

Durante esse pico, as publicações se dividiam em três principais frentes: um sentimento de vergonha de ser brasileiro, a divulgação de informações pessoais dos brasileiros identificados no vídeo e críticas à justificativa de que esses homens seriam “infantis” ou “imaturos” sob o argumento de que essa visão amenizaria o comportamento machista.

Do total de mensagens, 6,8 mil caracterizaram o episódio como racista devido à referência à cor da genitália da mulher. Segundo o estudo, as hashtags #machistasnacopa e #nãopassarão foram as mais usadas em todo debate e, juntas, somam 5,4 mil tuítes.

Apesar das críticas ao episódio dominarem o debate, há também posts que relativizam a atitude do grupo que aparece no vídeo. A postagem desse teor com maior repercussão questiona, por exemplo, a atenção dada ao caso e congrega 1,9 mil compartilhamentos.

Nesta quinta (21), o Ministério Público Federal do Distrito Federal (MPF-DF) abriu inquérito criminal para investigar o grupo de brasileiros. A instauração da investigação foi determinada com base nos artigos 1, 3 e outros da Convenção Internacional sobre Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra a Mulher.

Um dos homens que aparece no vídeo, o engenheiro Felipe Wilson,  foi demitido nesta quarta-feira (20) da Latam Airlines, onde trabalhava no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP). A Polícia Militar de Santa Catarina também abriu um processo administrativo disciplinar contra um tenente reconhecido entre os torcedores.

Ontem, a Ordem dos Advogados do Brasil de Pernambuco (OAB-PE) divulgou uma nota de repúdio ao grupo. Entre os homens que participaram da filmagem, de acordo com a nota, está o advogado Diego Valença Jatobá, que já foi secretário de turismo em Ipojuca (PE) e está regularmente inscrito na OAB-PE.

Nesta quarta (20), o ministro do Esporte, Leandro Cruz da Silva, afirmou que a atitude envergonha o país e que merece todas as reprimendas possíveis.

Acompanhe tudo sobre:Copa do MundoEleições 2018MachismoMulheres

Mais de Brasil

Ainda afetado por cheias, metrô volta a operar na grande Porto Alegre

Prefeitura de SP vai fechar parques quando houver previsão de chuvas fortes

Secretária executiva do MEC, Izolda Cela comunica saída da pasta

Base de Canoas passará a ter dez voos por dia, anuncia governo

Mais na Exame