Anitta, Marquezine e mais 1 milhão de tuítes cobram resposta de Bolsonaro

Desde domingo, a frase "Presidente @jairbolsonaro, por que sua esposa Michelle recebeu R$ 89 mil de Fabrício Queiroz?" não para de ser compartilhada
Bolsonaro: Até agora, o presidente não se manifestou sobre a repercussão de sua resposta agressiva a um jornalista do jornal O Globo (Adriano Machado/Reuters)
Bolsonaro: Até agora, o presidente não se manifestou sobre a repercussão de sua resposta agressiva a um jornalista do jornal O Globo (Adriano Machado/Reuters)
Por Clara CerioniPublicado em 24/08/2020 10:32 | Última atualização em 24/08/2020 10:50Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Jornalistas, artistas, parlamentares, partidos políticos e milhares de usuários do Twitter estão repetindo na rede social a pergunta feita pelo jornalista de O Globo ao presidente Jair Bolsonaro neste domingo, 23, sobre o por quê Michelle Bolsonaro recebeu 89 mil reais de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Em resposta, o presidente da República falou que tem "vontade de encher de porrada" o jornalista.

De acordo com o pesquisador Fábio Malini, da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), foram publicadas em 24 horas mais de 1 milhão de mensagens únicas na rede social

O pesquisador explica que a reação foi de pessoas reais "simulando um comportamento automatizante", como se os usuários estivessem juntos repetindo a mesma mensagem. 

A frase "Presidente @jairbolsonaro, por que sua esposa Michelle recebeu R$ 89 mil de Fabrício Queiroz?", acompanhada da hashtag #RespondeBolsonaro, começou a ser compartilhada por jornalistas na tarde de ontem e logo teve a adesão de outros usuários.

Fizeram publicações artistas como Caetano Veloso, Bruna Marquezine, Anitta, Felipe Neto, Whindersson Nunes, e políticos, como o vereador Eduardo Suplicy (PT), o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), e o senador Randolfe Rodrigues (Rede).

A maioria das reações falam em desrespeito do presidente em relação à liberdade de imprensa. Em nota, o PSDB disse que o "presidente volta a mostrar apreço por posturas agressivas e antidemocráticas". Já o MDB pediu respeito aos jornalistas: "o presidente da República precisa se retratar".

Os termos "Fabrício Queiroz" e "Michelle" estavam entre os mais comentados do Twitter. Até agora, o presidente não se manifestou sobre o assunto. Depois da resposta agressiva de Bolsonaro, jornalistas que acompanhavam a visita questionaram se a declaração era uma ameaça, mas o chefe do Executivo não respondeu mais e seguiu com a visita.

O Palácio do Planalto foi questionado sobre o teor da frase, mas respondeu que não iria comentar. Entidades de imprensa repudiaram a ameaça e cobraram uma "reação contundente" dos Poderes Legislativo e Judiciário.

(Com Estadão Conteúdo)