Brasil

Advogado de Temer critica pedido para impedimento de Admar

Gustavo Guedes declarou que o pedido do Ministério Público Eleitoral é "baixo" e "não respeita o tribunal"

Admar Gonzaga: o ministro figurou como advogado de Dilma Rousseff (REUTERS/Ueslei Marcelino/Reuters)

Admar Gonzaga: o ministro figurou como advogado de Dilma Rousseff (REUTERS/Ueslei Marcelino/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 9 de junho de 2017 às 16h37.

Brasília - O advogado de defesa do presidente Michel Temer, Gustavo Guedes, deixou nesta tarde de sexta-feira, 9, o plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) indignado com o pedido do Ministério Público Eleitoral para que fosse declarada a suspeição do ministro Admar Gonzaga por ele ter figurado como advogado da ex-presidente Dilma Rousseff.

"Isso é baixo. Não respeita o tribunal", disse Gustavo Guedes, após o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, suspender a sessão.

Depois, a assessores, o advogado se queixou em voz alta de que "estão fazendo sem parar, é toda semana isso".

No domingo, antes de iniciar o julgamento do TSE, Guedes afirmou que a Procuradoria Geral da República (PGR) tentava constranger o TSE a cassar o presidente.

Acompanhe tudo sobre:Dilma RousseffEleições 2014Governo TemerJustiçaMichel TemerTSE

Mais de Brasil

Ministério da Saúde amplia vacinação contra dengue; veja nova faixa etária

Reviravolta em julgamento sobre 'sobras eleitorais' pode anular eleição de sete deputados; entenda

Privatização da Sabesp será concluída em 22 de julho; veja os mais cotados para vencer a disputa

Quem é Mello Araújo, anunciado como vice de Nunes em São Paulo

Mais na Exame