A pedido do MP, Allianz Parque cancela transmissão de jogo para 2 mil pessoas

No evento seria exibida a primeira partida da final da Copa do Brasil, entre Grêmio e Palmeiras, no próximo domingo, 28

O Allianz Parque acatou um pedido do Ministério Público de São Paulo (MP-SP) e cancelou um evento que reuniria 2.000 pessoas no próximo domingo, 28, para assistir à transmissão, feita em telões, do primeiro jogo da final da Copa do Brasil, entre Grêmio e Palmeiras.

O promotor Arthur Pinto Filho chegou a instaurar um inquérito para apurar as circunstâncias de evento, que teria 500 mesas espalhadas pelo gramado do estádio. Mas antes mesmo de qualquer conclusão, os organizadores decidiram pela suspensão da transmissão.

De acordo com o promotor, apesar de os organizadores adotarem medidas para evitar a propagação do coronavírus, "a movimentação de duas mil pessoas já indica uma aglomeração não condizente com o Plano São Paulo" - a quarentena determinada pelo governo estadual.

Em um comunicado oficial, o Allianz Parque disse que evento estaria dentro das regras estabelecidas pelo decreto estadual, que prevê distanciamento entre as mesas e capacidade reduzida a 40%, mas achou melhor por acatar o pedido do Ministério Público.

“O Allianz Parque, que inclusive vem sendo um dos palcos da campanha de vacinação contra a Covid-19, reitera seu compromisso com a saúde de todos e acatará a solicitação. Todos aqueles que já haviam adquirido seus ingressos, receberão as comunicações pertinentes ao reembolso através dos canais oficiais da Sympla", diz o comunicado.

Governo de SP restringe horário de comércio da capital

Nesta sexta-feira, o governo de São Paulo reclassificou as fases da quarentena em todo o estado nesta sexta-feira, 26. O cenário ficou pior em quatro regiões, que passam da fase 3 amarela e regridem para a fase 2 laranja. Neste grupo está a Grande São Paulo, Sorocaba, Registro e Campinas. As medidas começam a valer a partir de segunda-feira, 1° de março.

Com a mudança, o horário de abertura do comércio fica reduzido, passando de até 22 horas para até 20 horas. A capacidade permanece a mesma, com 40%, escolas também ficam abertas. Os bares precisam fechar.

A medida foi adotada para conter o avanço no número de internações pela doença, que chegou ao maior pico desde o início da pandemia na quinta-feira, 25, com 6.767, segundo dados da Secretaria da Saúde. A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 70% tanto no estado quanto na capital paulista.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.