EXAME Agro

Plantae empresta R$320 milhões a produtores usando inteligência artificial para análise de crédito

Banco digital atende a cerca de 400 agricultores e pecuarista entre Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Cerca de 400 produtores rurais formam a carteira do banco Plantae (Getty Images/Getty Images)

Cerca de 400 produtores rurais formam a carteira do banco Plantae (Getty Images/Getty Images)

Mariana Grilli
Mariana Grilli

Repórter de Agro

Publicado em 23 de março de 2023 às 06h25.

Um banco digital, nascido em Presidente Prudente (SP) e voltado integralmente para o agronegócio, emprestou R$ 321 milhões a produtores rurais em 2022. A performance do Plantae Agrocrédito é um exemplo de como produtores rurais estão em busca de financiamentos à parte das linhas oficiais de crédito, e com agilidade.

Fundado há 23 anos pra atuar na área de fomento comercial, em 2021 recebeu autorização do Banco Central para operar como instituição financeira e faz a negociação de forma digital, mas o gerente fecha o contrato presencialmente, dentro da porteira. Cana, soja, milho e laranja são as principais culturas atendidas, e a pecuária vem ganhando espaço na carteira de clientes.

Como é feita a análise de crédito?

Para que haja a liberação de crédito, é feita uma análise com base em algoritmos que, compreendidos pela inteligência artificial, conseguem estimar a capacidade econômica do contrato. É o que Leandro Justino, diretor de crédito do banco, chama de “Matriz de Cálculo”.

Para tal, é utilizado um software que, com o input das informações, estima um cenário próximo à realidade que ocorrerá no evento futuro. Assim, a capacidade produtiva da área, o histórico de produtividade, a contratação de seguro rural e outras informações são incluídas no sistema para que haja esta previsibilidade.

“A inteligência artificial também está sendo implantada no desenvolvimento de nosso modelo preditivo. Ou seja, após um determinado tempo e volume de operações, a máquina vai ‘aprendendo’ a tomar as decisões, de recomendação ou não das propostas”, afirma Leandro Justino.

Outro critério avaliado é a capacidade de acompanhar volumes ligados à safra, através do monitoramento de imagens via satélite. Pelo imageamento, é possível acompanhar o uso correto da terra e também o andamento das culturas.

Apesar de ter recebido o aval de operação como instituição financeira pelo Banco Central apenas em 2021, a Plantae atua desde 2000 na área de fomento comercial, com antecipação de recebíveis por meio da aquisição de títulos de crédito. Com sede no interior paulista, o modelo de negócios acertou no formato de crédito e conseguiu atrair parcerias com grandes empresas da agroindústria, como Marfrig, Minerva e Tereos, além do segmento de grãos com COFCO, ADM, Cargill.

Atualmente, a empresa contabiliza 450 clientes, entre São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Minas Gerais, Goiás e Rio Grande do Sul. Para que a liberação dos valores aconteça, a instituição passa a recorrer à inteligência artificial para ter mais precisão na concessão do crédito.


Você já conhece a newsletter semanal EXAME Agro? Receba na sua caixa de e-mail as principais notícias sobre o agronegócio e histórias dos empreendedores que fazem a diferença no campo. Cadastre-se aqui gratuitamente e acompanhe também o programa EXAME Agro no YouTube: 

yt thumbnail

 

Acompanhe tudo sobre:AgronegócioCréditoBancosExame-Agro

Mais de EXAME Agro

Plano Safra 2024/25: o que se sabe até agora

Colheita de uva niagara começa em Pirapora com expectativas positivas, informa Cepea

Mais na Exame