EXAME Agro

Como Curitiba virou uma referência em hortas urbanas

Em abril, a capital paranaense atingiu a marca de 170 unidades que se espalham por cerca de 200 mil metros quadrados

170º horta urbana de Curitiba: Com uma área total de cerca de 3.400 metros quadrados, a horta comunitária Dembinski II abriga 103 canteiros dedicados ao cultivo de diversos produtos agrícolas. (Ricardo Marajó/SMCS/Divulgação)

170º horta urbana de Curitiba: Com uma área total de cerca de 3.400 metros quadrados, a horta comunitária Dembinski II abriga 103 canteiros dedicados ao cultivo de diversos produtos agrícolas. (Ricardo Marajó/SMCS/Divulgação)

EXAME Solutions
EXAME Solutions

EXAME Solutions

Publicado em 3 de maio de 2024 às 09h50.

Manu Buffara, a chef mais conhecida de Curitiba, é uma grande entusiasta das hortas urbanas da cidade. Todos os vegetais utilizados no Manu, o principal restaurante da cozinheira, saem delas. “Acho que todo mundo, hoje em dia, tem a obrigação de cuidar do planeta e de ser, minimamente, sustentável”, diz ela, ao justificar a adesão ao projeto, encabeçado pela prefeitura.

Foi em 2011 que a cozinheira, que integra o time de jurados do programa “The Taste Brasil”, começou a fazer uso das hortas urbanas de sua cidade. Além do Manu, que ocupa a 35ª colocação no Latin America's 50 Best Restaurants — ranking que a premiou como a melhor chef mulher da região em 2022 —, ela comanda o Aatma, o restaurante do hotel Suryaa, em Pinhais (PR). Também é uma das sócias do bar Exímia, em São Paulo, prestes a ser inaugurado — a coquetelaria está a cargo do bartender Márcio Silva.

No dia 25 de abril, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PSD), inaugurou a 170ª horta urbana da cidade. Ela ganhou o nome de Dembinski II por se tratar de uma ampliação da horta comunitária Paraíso Dembinski. Na Rua Rio do Sul, na Cidade Industrial, é fruto de uma parceria da administração municipal com a Associação Martas e Marias, a Companhia Paranaense de Energia (Copel) e o governo estadual.

As hortas urbanas, como é de imaginar, visam aumentar a segurança alimentar de famílias em vulnerabilidade social e fazer de Curitiba uma metrópole mais sustentável. “Uma cidade inteligente é aquela que escolhe abrir espaços para as hortas urbanas, que não apenas fornecem alimentos frescos, mas também promovem solidariedade, justiça social e esperança”, discursou Greca no lançamento da unidade de número 170.

A horta comunitária Dembinski II se espalha por cerca de 3.400 metros quadrados e abriga 103 canteiros dedicados ao cultivo de diversas espécies de hortaliças, entre outros tipos de alimentos. Os canteiros foram construídos com a ajuda da Secretaria Municipal de Obras Públicas. Os terrenos costumam ser cedidos pela prefeitura, mas nenhum tipo de edificação pode ser erguido neles.

A nova unidade deverá beneficiar, diretamente, 40 famílias que vivem no entorno. “O número de beneficiados de uma horta urbana é sempre maior porque muitos envolvidos acabam doando alimentos para vizinhos e parentes”, explica Buffara. Essa horta, como várias outras de Curitiba, também dispõe de colmeia de abelhas nativas e de um sistema de compostagem que favorece a sustentabilidade do projeto como um todo.

Essa comunidade já colheu mais de 300 quilos de hortaliças frescas, que foram doados para o Banco de Alimentos de Curitiba. Ao todo, as hortas urbanas da cidade se espalham por cerca de 200 mil metros quadrados. São administradas, exatamente, por 6.427 pessoas. Estima-se, porém, que contribuam com a vida de 36.119 habitantes.

Aos interessados em montar uma horta do tipo na cidade: é preciso reunir no mínimo 10 pessoas/famílias da comunidade interessadas em participar do cultivo e da manutenção. No caso de projetos que envolvem áreas particulares é preciso obter um termo de autorização de uso do proprietário do terreno.

Atenção: todo local à beira de rio é considerado uma Área de Preservação Permanente (APP). Por definição, trechos do tipo são cobertos ou não por vegetação nativa e têm a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a fauna e a flora, o solo, e assegurar o bem-estar das populações. A autorização de hortas em terrenos do tipo está sujeita à Lei Federal n.º 12.651/2012, que rege esse tema.

Solicitações de implantação de hortas urbanas devem ser feitas por meio do número 156. No caso de sinal verde da prefeitura de Curitiba, o gerente do núcleo regional da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN) se encarrega de visitar a área prevista, para uma avaliação prévia. Caso tudo esteja nos conformes, a nova horta poderá sair do papel.

Acompanhe tudo sobre:Alimentando o Planetabranded-content

Mais de EXAME Agro

Importação nos portos do Paraná cresce 14% nos cinco primeiros meses de 2024, impulsionada por trigo

Plano Safra 2024/25: ministro confirma lançamento para a semana que vem; veja data

Greening: prazo para produtor entregar relatório em SP vai até 15 de julho

Cana-de-açúcar: expansão da área e queda na produtividade devem marcar safra 2024/25, diz Itaú BBA

Mais na Exame