WhatsApp fica mais seguro no computador com autenticação biométrica

O aplicativo tornará mais difícil a vida de bisbilhoteiros e suas mensagens devem ficar mais seguras

O WhatsApp sempre foi um aplicativo dedicado ao smartphone e, portanto, a grande maioria das novidades têm sido para o serviço em celulares. Desde que o WhatsApp Web foi lançado, em janeiro de 2015, poucas novidades foram adicionadas à sua versão para computadores. Hoje, o aplicativo muda de postura traz um novo recurso para tornar o uso em PCs mais seguro: agora, será preciso realizar um desbloqueio biométrico (por reconhecimento facial ou por impressão digital) para poder fazer a leitura do código QR e usar o aplicativo de mensagens em um computador. A novidade é anunciada no Dia Mundial da Privacidade de Dados -- que acontece poucos dias depois do vazamento de mais de 220 milhões de brasileiros na internet.

A liberação do acesso ao WhatsApp Web acontece no seu smartphone, seja ele com sistema operacional Android ou iOS. Com isso, não é necessário que o computador ou notebook tenha um sensor biométrico.

WhatsApp - autenticação biométrica 2

 (WhatsApp/Divulgação)

O recurso foi criado pelo WhatsApp para minimizar problemas de privacidade quando, por exemplo, alguém conecta o WhatsApp Web a um computador para ter acesso às suas mensagens sem a sua autorização.

A API utilizada pelo aplicativo para ter acesso às informações biométricas é similar à utilizada por aplicativos de bancos e corretoras. Ou seja, o WhatsApp, bem como as instituições financeiras, não têm acesso a tais informações, que ficam guardadas no celular de cada usuário.

WhatsApp - autenticação biométrica 2

 (WhatsApp/Divulgação)

O novo recurso de segurança para o WhatsApp Web será habilitado por padrão para todos os usuários a partir de hoje. Os aparelhos compatíveis são iPhones a partir do 5s e qualquer celular com sistema Android que possua tecnologia de desbloqueio por impressão digital, rosto ou íris.

A autnticação biométrica obrigatória em computadores chega depois de um revés do WhatsApp sobre uma mudança em termos de serviço que poderia permitir acesso a informações pelo Facebook, que controla o app desde 2014. Agora, a novidade reforça a aposta do aplicativo na privacidade dos usuários.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.