Saiba por que a Apple não quis competir contra o WhatsApp no Android

Fabricante do iPhone popularizou o serviço de mensagens iMessage nos Estados Unidos, mas desistiu de criar uma versão do app para o sistema do Google
iMessage: aplicativo faz sucesso nos Estados Unidos, mas é pouco popular no Brasil (Future Publishing / Colaborador/Getty Images)
iMessage: aplicativo faz sucesso nos Estados Unidos, mas é pouco popular no Brasil (Future Publishing / Colaborador/Getty Images)
R
Rodrigo Loureiro

Publicado em 09/04/2021 às 14:12.

Última atualização em 09/04/2021 às 19:44.

Por mais que o WhatsApp seja extremamente popular no Brasil, é outro serviço de mensagem que faz sucesso nos Estados Unidos. Trata-se do iMessage. Disponível apenas para dispositivos da Apple, como iPhone e iPad, o mensageiro faz sucesso no país. E poderia ser ainda mais relevante se estivesse disponível para Android? Não para a Apple.

Depoimentos e e-mails de funcionários da empresa de Cupertino revelados em um processo judicial movido pela Epic Games, desenvolvedora do game Fortnite, contra a companhia mostram que a Apple não tem qualquer intenção de disponibilizar o aplicativo para fora de sua bolha de produtos que levam o logo da maçã. A justificativa é de que a exclusividade do aplicativo ajuda a reter a clientela do iPhone.

Num dos trechos dos documentos, Eddy Cue, um dos vice-presidentes da Apple, é creditado como o autor da seguinte frase: “O [motivo] mais difícil para sair do aplicativo do universo Apple é o iMessage...” Em outro trecho, Cue afirma que o “iMessage é um sério aprisionamento”.

O documento em questão traz os relatos da conversa entre Cue e outros executivo da companhia. Um deles era o engenheiro Phil Schiller, que teria afirmado que “mudar o iMessage para o Android vai nos prejudicar mais do que nos ajudar”.

Outro vice-presidente da Apple, Craig Federighi, também participa das discussões e se posiciona na mesma linha dos colegas. “O iMessage no Android serviria simplesmente para remover [um] obstáculo para as famílias do iPhone darem a seus filhos telefones Android”, afirmou.

Os documentos revelados no processo movido pela Apple ainda mostram que a Apple já até cogitou criar uma versão para Android do iMessage e que iria permitir a troca de mensagens não apenas entre usuários Android, mas entre todos os internautas. Este plano, porém, foi abandonado em 2013.

A Apple não revela o número de pessoas que utilizam o iMessage. No entanto, é possível realizar uma estimativa com base na fatia de mercado ocupada pelo iPhone ante seus rivais do mercado de smartphones. Dados da consultoria Statista apontam que 47% dos usuários americanos utilizam iPhone.

Em relação aos serviços rivais, o WhatsApp não consegue nem ao menos superar a concorrência do Facebook Messenger nos EUA. Conforme reportado pelo site Business of Apps, o WhatsApp tinha apenas 68,1 milhões de usuários no país em setembro de 2019. O Facebook Messenger contava com 117,6 milhões.

Por desejo de Steve Jobs, cofundador da Apple, a companhia tem por via de regra criar produtos e serviços exclusivos para seus usuários. O chamado “sistema fechado” chegou a ser criticado durante a década de 1980, mas acabou deslanchando nas últimas décadas. Principalmente com o iPhone. Além do iMessage, vale citar também o FaceTime.