Acompanhe:

O WhatsApp para empresas vem aí

WhatsApp anuncia os primeiros testes oficiais com sua solução para empresas. Ideia é conectar negócios a consumidores

Modo escuro

Continua após a publicidade
WhatsApp: solução para empresas começa a ser testada ao redor do mundo (Justin Sullivan/Getty Images)

WhatsApp: solução para empresas começa a ser testada ao redor do mundo (Justin Sullivan/Getty Images)

V
Victor Caputo

Publicado em 5 de setembro de 2017 às, 16h07.

Última atualização em 5 de setembro de 2017 às, 16h12.

São Paulo – A versão do WhatsApp com foco em empresas e negócios começa a ser testado, informa a empresa. A ideia é permitir que consumidores conversem com estabelecimentos comerciais—sejam eles PMEs locais ou gigantes multinacionais.

Algo bacana é que entre os parceiros iniciais do WhatsApp, está o banco brasileiro Itaú Unibanco.

Em um texto compartilhado em seu blog, o WhatsApp afirma que fará experiências com recursos para empresas. O objetivo final é “facilitar o contato entre pessoas e negócios com os quais elas queiram se comunicar”, afirma o texto do WhatsApp.

Neste primeiro momento, o aplicativo quer fazer uma ponte confiável entre clientes e empresas. "Estamos entusiasmados em tornar possível conectar pessoas à empresas de maneira rápida e pessoal”, afirma o chefe de operações do WhatsApp Matt Idema em comunicado enviado à redação.

Como mercado crítico para o WhatsApp, o Brasil tem um representante de peso na lista inicial dos parceiros de testes, o Itaú Unibanco. O banco será a primeira instituição financeira a participar do projeto.

Em comunicado, o banco afirma que começará permitindo que clientes Personnalité Digital interajam com a instituição. Haverá expansão no uso do recurso para clientes de outras modalidades de forma gradual.

“Estarmos sempre presentes na vida do cliente, na forma e no momento em que ele tiver necessidade, é um ideal que buscamos. O desenvolvimento de uma solução como esta será crucial”, diz Luis Cunha, diretor executivo do Itaú Unibanco, em comunicado.

Monetização

Este deve ser o primeiro passo para que o WhatsApp gere alguma receita. Vale lembrar que ele foi comprado por cerca de US$ 22 bilhões pelo Facebook.

Diferentemente do próprio Facebook e de outros produtos da casa, o WhatsApp não deve buscar dinheiro por meio de anúncios. Em entrevista ao Wall Street Journal, Matt Idema afirma que alguns recursos do app para empresas devem ser pagos no futuro. “Nós pretendemos cobrar de empresas no futuro”, disse.

O executivo explica, porém, que os termos e planos para as cobranças ainda não estão prontos.  Mesmo assim, Idema não descartou uma eventual chegada de anúncios.

Esse início dos testes acontece, além de no Brasil, em países europeus, na Índia e na Indonésia. A companhia aérea holandesa KLM, por exemplo, é outro parceiro nesse momento.

Usuários terão que permitir que sejam contatados pelos perfis de empresas, avisa o WhatsApp. O passo é importante para não afugentar usuários ao se criar uma plataforma de spams.

Confiança

Para que a comunicação entre empresas e clientes funcione bem, o WhatsApp lançou o selo de conta verificada. O princípio é bem parecido ao aplicado em redes sociais: a verificação garante que o perfil pertence à empresa—uma medida importante contra fraudes no app.

As contas verificadas trarão um pequeno selo verde. Testes com contas verificadas já haviam sido detectados ao longo das últimas semanas.

Últimas Notícias

Ver mais
Whatsapp caiu nesta quarta? Usuários relatam instabilidades no app
Pop

Whatsapp caiu nesta quarta? Usuários relatam instabilidades no app

Há 21 horas

Itaú acredita em bitcoin como "propriedade digital" para investidores, diz head de ativos digitais
Future of Money

Itaú acredita em bitcoin como "propriedade digital" para investidores, diz head de ativos digitais

Há 22 horas

Depois de investir R$ 7 bilhões no Brasil, a chinesa Kwai tem novos planos para o país
Tecnologia

Depois de investir R$ 7 bilhões no Brasil, a chinesa Kwai tem novos planos para o país

Há um dia

Itaú vê espaço para consolidação no setor de saúde e aponta quem irá liderar de M&As
seloMercados

Itaú vê espaço para consolidação no setor de saúde e aponta quem irá liderar de M&As

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais