Tecnologia

O Atari voltou? Console virá com jogos na memória por R$ 499

Empresa aproveita interesse por jogos antigos e demanda por consoles de preço baixo para relançar o aparelho

Atari: empresa agora aposta em criptomoedas (Tectoy/Divulgação)

Atari: empresa agora aposta em criptomoedas (Tectoy/Divulgação)

Lucas Agrela

Lucas Agrela

Publicado em 24 de março de 2017 às 10h49.

Última atualização em 28 de setembro de 2017 às 16h40.

São Paulo – A Tectoy começou a vender nesta semana uma nova versão do Atari, chamada Flashback 7. O console vem com 101 jogos na memória e custa 499 reais.

O Atari Flashback 7 tem com games como Centipede, Frogger e Space Invaders. No entanto, clássicos importantes ficaram de fora, como River Raid, Pitfall, Enduro, Keystone Kapers ou Pac-Man.

Tomas Diettrich, CEO da Tectoy, disse a EXAME.com que não é só a nostalgia que motiva a empresa a lançar essa nova versão do Atari no Brasil.  

"O relançamento desses consoles acontece devido ao fator preço. Há uma demanda por consoles que custam menos de 500 reais. Obviamente, são aparelhos com tecnologia inferior em comparação com os consoles atuais. São outros níveis de definição e qualidade", declarou o CEO.

Sobre a ausência de games importantes do console e a impossibilidade de utilizar cartuchos antigos do console, o executivo disse que é uma questão parecida com a do Mega Drive. "A falta de alguns games no Atari pode ser um problema de licença, o mesmo que enfrentamos com o Mega Drive", afirmou.

Vale notar que existem versões diferentes do Atari Flashback, com jogos diferentes, feitas pela At Games – que não são vendidas oficialmente no Brasil.

Você pode ver a lista de jogos que vêm no Atari Flashback 7 aqui.

Acompanhe tudo sobre:AtariGamesJogosTectoy

Mais de Tecnologia

NIO lança estação que realiza troca de bateria em apenas 3 minutos

Aeroportos registram queda no extravio de bagagens após implementação de novas tecnologias

Volta do presencial prejudica profissionais de tecnologia do Norte e Nordeste

IBM Consulting troca gerente geral para renovar foco em projetos de inteligência artificial

Mais na Exame