Tecnologia

Musk anuncia que, em breve, limites de leitura no Twitter serão aumentados

Segundo ele, o máximo de tweets diários que usuários poderão ler será de 8.000 para contas verificadas, de 800 para contas não verificadas

Musk: rede social aplicou as limitações para lidar com "níveis extremos" de extração de dados e manipulação do sistema (Creative Commons/Divulgação)

Musk: rede social aplicou as limitações para lidar com "níveis extremos" de extração de dados e manipulação do sistema (Creative Commons/Divulgação)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 1 de julho de 2023 às 19h59.

Após usuários reclamarem do limite de leitura no Twitter anunciado por Elon Musk mais cedo, o empresário voltou a se manifestar nas redes sociais dizendo que, em breve, esse número será aumentado.

Segundo ele, o máximo de tweets diários que usuários poderão ler será de 8.000 para contas verificadas, de 800 para contas não verificadas e de 400 para novos usuários sem verificação. Mais cedo, Musk havia informado que, temporariamente, os limites seriam de 6000, 600 e 300 posts diários, respectivamente.

Conta verificada

Internautas reclamaram da mudança, dizendo que se beneficiaria só quem tem a marca azul - sinal que indica que a conta é verificada. A verificação, antes gratuita, passou a ser adquirida mediante assinatura em abril, após o bilionário comprar a rede social em outubro do ano passado.

De acordo com Musk, a rede social aplicou as limitações para lidar com "níveis extremos" de extração de dados e manipulação do sistema. Alguns usuários já relataram ter visto uma mensagem informando "limite de taxa excedido" neste sábado, 1.

Acompanhe tudo sobre:elon-muskTwitterRedes sociais

Mais de Tecnologia

Alphabet registra lucro líquido de US$ 23,6 bilhões no segundo trimestre de 2024

Visa e Banco do Brasil lançam pagamento por aproximação em relógios da Garmin

CEO da CrowdStrike é convidado a depor no Senado dos EUA sobre falha que afetou PCs Windows

Starlink quer adicionar 7,5 mil novos satélites na rede acessada pelo Brasil

Mais na Exame