Tecnologia

Multilaser traz ao Brasil marca de mouses e teclados Rapoo

Na era do home office, a empresa brasileira aposta em uma nova marca para o país para vender produtos mais sofisticados

Multilaser: empresa investe em mercado pet (Multilaser/Divulgação)

Multilaser: empresa investe em mercado pet (Multilaser/Divulgação)

Lucas Agrela

Lucas Agrela

Publicado em 6 de abril de 2021 às 11h11.

Última atualização em 6 de abril de 2021 às 15h11.

A brasileira Multilaser traz ao Brasil a partir de hoje a marca de mouses e teclados chinesa Rapoo. Os novos produtos serão distribuídos pela Multilaser, que também continuará a vender periféricos sob sua própria marca. A Rapoo foi fundada em 2002 e atuou por anos como uma fabricante de aparelhos para outras marcas, como a LG. A empresa foi umas pioneiras no uso da tecnologia de comunicação sem fio na frequência 2,4 GHz, que viabiliza o uso de periféricos como mouses e teclados sem problemas de interferência, que eram comuns no início desse mercado.

Segundo Danilo Angi, diretor de produtos da Multilaser, todos os produtos da Rapoo serão importados. "100% dos produtos serão importados. No Brasil, não há fábricas de mouse e teclado. É invíavel montar tais produtos no país atualmente. Toda a linha de montagem e maquinário estão na China. Não há como competir com a China hoje em dia. Qualquer marca multinacional fabrica produtos lá", disse Angi, ao responder questionamento da EXAME em coletiva de imprensa.

A aposta no mercado de periféricos para computadores vem na esteira da alta demanda por notebooks em 2020, puxada pela quarentena e pelo trabalho remoto. Segundo dados da empresa brasileira de inteligência de mercado Compre & Confie, o faturamento do setor de notebooks no comércio eletrônico no Brasil foi de 2,1 bilhões de reais entre os meses de março e junho de 2020, um crescimento de 85,2% em relação ao mesmo período no ano anterior.

A Multilaser venderá no Brasil conjuntos de mouse e teclado da Rapoo com e sem fio. O combo X1800T de mouse e teclado Bluetooth tem preço sugerido de 299 reais. Já o combo X1800S de mouse e teclado com tecnologia de 2,4 GHz sai por 149,90 reais.

A empresa tem como sua maior aposta nos mouses o modelo M100, de 100 reais, que pode se conectar a computadores por Bluetooth ou por receptor de 2,4 GHz. Já o M500 é um modelo de cinco botões com sensor de alta precisão de 1600 dpi (medida de precisão de movimento), conexões Bluetooth e 2,4 GHz e, por ser mais completo, tem preço mais alto: 199,90 reais.

Com o aumento da demanda por aplicativos de videochamadas as webcams também são apostas da Rapoo para o Brasil. A C200, de 269,90 reais, filma em resolução HD e tem microfone integrado. A câmera pode ser rotacionada em 360º e pode ser acoplada ao notebook ou usada em um tripé. Já o modelo C260, de 399 reais, possui os mesmos recursos da C200, mas pode filmar com resolução de imagem Full HD.

Para complementar a experiência de videochamadas, a Rapoo traz ao Brasil headsets, fones de ouvido com microfones integrados. Os modelos chamados H120 (USB) e H100 (P2 e P3) chegam com preços sugeridos de 199,90 e 149,90 reais, respectivamente. Os dois modelos têm tecnologia de redução de ruído ambiente. Todos os novos produtos da empresa serão vendidos por varejistas no comércio eletrônico e no site da Multilaser, assim como em lojas físicas em todo Brasil.

No mercado brasileiro, a Rapoo mira no segmento de produtos de alto nível, posicionamento entre o chamado “premium”, ocupado pela Microsoft, e o intermediário, ocupado pela Multilaser. A meta declarada da empresa é levar a Rapoo ao top cinco de marcas do segmento de mouses e teclados em três anos. Para o futuro, a Multilaser planeja um aluguel de periféricos eletrônicos no Brasil. Mas, primeiro, a missão é estabelecer a marca no mercado nacional.

Podcast: Qual é o futuro das startups de tecnologia brasileiras?

 

Acompanhe tudo sobre:Computadoreshome-officeMultilaserNotebooks

Mais de Tecnologia

O que esperar do balanço da Nvidia, a mais nova queridinha de Wall Street

Quatro operadoras da China se unem para oferecer roaming 5G entre redes

Colher elétrica promete 'temperar' alimento sem utilizar mais sal

Plano do Instagram para engajar usuários pode dar certo?

Mais na Exame