Tecnologia

MercadoLivre compra empresa e passa a fornecer software

O MercadoLivre adquiriu a companhia brasileira KPL por R$ 50 mi e agora expande seus negócios para a distribuição de sistemas de gestão para e-commerce

MercadoLivre: a empresa, localizada em Santana de Parnaíba, não vai hospedar os empregados da KPL em seu prédio. (Divulgação/MercadoLivre)

MercadoLivre: a empresa, localizada em Santana de Parnaíba, não vai hospedar os empregados da KPL em seu prédio. (Divulgação/MercadoLivre)

DR

Da Redação

Publicado em 14 de abril de 2015 às 10h43.

São Paulo -- O MercadoLivre decidiu aumentar seu domínio dentro do e-commerce com a venda de software para outras empresas. Por isso, a companhia adquiriu o controle acionário da KPL Soluções por R$ 50 milhões.

Com mais de 300 clientes ativos, entre eles marcas como o Netshoes e a Electrolux, a KPL é uma companhia especialista na produção de sistemas de gestão de comércio online e é líder do mercado no país. 

O sócio-diretor da KPL, Anderson Duarte, conta que o sistema fabricado pela sua companhia auxilia o MercadoLivre a ter um alto nível de produtividade. “Além da eficácia, o software também melhora a experiência do cliente com a marca”, adiciona Duarte.

Um dos principais objetivos da compra é completar o ecossistema de serviços do MercadoLivre – como o MercadoEnvios, o MercadoPago, o MercadoLivre publicidade e o Mercado Shop – para empreendedores brasileiros de todos os portes, desde pequenas a grandes empresas.

A KPL tem como meta desenvolver um sistema de gestão na nuvem, a partir do modelo SaaS (Software as a Service, o software como um serviço).

“Esse modelo (SaaS) vai ajudar a democratizar a oferta de soluções relacionadas ao e-commerce, será mais acessível para os vendedores profissionais e o MercadoLivre vai servir como meio de campo entre essas empresas e a KPL”,  relata o diretor geral do MercadoLivre no Brasil, Hellison Lemos.

É a primeira vez que o MercadoLivre adquire uma empresa de um segmento novo, pouco conhecido no Brasil. A companhia teve um dos maiores lucros de sua história no ano passado, quando faturou 560 milhões de dólares em receita líquida.

Acompanhe tudo sobre:ComércioElectroluxEmpreendedoresEmpresasEmpresas de internetEmpresas suecasIndústria de eletrodomésticoslojas-onlineMercado LivreNetshoesSoftwareVarejo

Mais de Tecnologia

TikTok passa a testar vídeos de 60 minutos e acirra disputa com YouTube

Como tirar o online do WhatsApp no Android? Confira o tutorial no app

Como escanear documentos no seu smartphone sem instalar nada

Como descobrir uma fonte a partir da imagem pela internet

Mais na Exame