Tecnologia

Gatos podem miar com sotaque dependendo de onde viverem

O objetivo é analisar a variedade de melodias nos sons produzidos pelos gatos para elaborar um "dicionário dos miados"


	Gato miando ao telefone: o objetivo é analisar a variedade de melodias nos sons produzidos pelos gatos para elaborar um "dicionário dos miados"
 (Susan Schiff Faludi/ Getty Images)

Gato miando ao telefone: o objetivo é analisar a variedade de melodias nos sons produzidos pelos gatos para elaborar um "dicionário dos miados" (Susan Schiff Faludi/ Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 5 de abril de 2016 às 09h29.

Gatos miam com uma entonação específica quando estão pedindo comida e com outra quando estão tristes. Mas será que a melodia do miado varia de acordo com a região em que vivem? 

A especialista em fonética Susanne Schötz, da Universidade de Lund, na Suécia, uniu sua paixão por gatos com seus estudos para liderar o projeto Meowsic, que pode ser traduzido como "miau-sica".

O objetivo é analisar a variedade de melodias nos sons produzidos pelos gatos para elaborar um "dicionário dos miados".

Enquanto os resultados iniciais do projeto já mostraram diferenças claras entre o miado de fome (que é geralmente um som crescente) e de tristeza (que vai diminuindo de intensidade), o grupo de pesquisa vai avaliar se a localização geográfica dos gatos afeta sua entonação, como uma espécie de sotaque.

yt thumbnail

Para isso, eles vão comparar os sons produzidos por gatos que vivem no centro da Suécia, em Estocolmo, e no sul do país, em Lund. Nessas áreas, os dialetos suecos usados pelos humanos são bastante distintos.

Pode ser, então, que a variação nos sons dos felinos seja aprendida a partir dos sons produzidos pelos donos - também é assim que bebês desenvolvem uma forma de sotaque.

Dialetos regionais já foram encontrados em outras espécies.Morcegos emitem diferentes ondas sonoras de acordo com a região onde vivem. Os bodes aprendem um sotaque com a mãe e os irmãos, mas mudam o dialeto quando se tornam independentes.

E os sapos passam até dificuldades para acasalar quando têm sotaques diferentes entre si.

A pesquisa da Universidade de Lund pretende ir mais a fundo na comunicação entre humanos e gatos, tentando descobrir, por exemplo, se os animais são capazes de diferenciar o tom de voz de um adulto de uma criança ou mesmo perceber se a voz é de um conhecido ou um desconhecido.

O objetivo do estudo é promover uma comunicação mais efetiva com os felinos, em especial em casos de hospitais veterinários e abrigos. Os pesquisadores esperam, inclusive, revelar se os gatos gostam ser abordados pelos donos com a típica entonação aguda usada com crianças ou se preferem ser tratados "como adultos".

Acompanhe tudo sobre:EuropaGatosPaíses ricospet-shopsSuécia

Mais de Tecnologia

Aeroportos registram queda no extravio de bagagens após implementação de novas tecnologias

Volta do presencial prejudica profissionais de tecnologia do Norte e Nordeste

IBM Consulting troca gerente geral para renovar foco em projetos de inteligência artificial

Tecnologia vira aliada no cuidado de idosos na China

Mais na Exame