Tecnologia

Enfrentar iPhone pode ser tarefa difícil para LG e Nokia

Embora venda treze vezes menos celulares que as rivais, Apple consegue um lucro superior

Lançamento do iPhone fez a Apple entrar no mercado de celulares (AFP/Ian Gavan)

Lançamento do iPhone fez a Apple entrar no mercado de celulares (AFP/Ian Gavan)

DR

Da Redação

Publicado em 9 de agosto de 2010 às 10h52.

Seul/Helsinque - Destronar o iPhone pode ser tarefa difícil demais para alguns dos líderes do setor de celulares, entre os quais a LG Electronics, que estão batalhando por recuperar terreno perdido nos segmentos de celulares e serviços.

Nokia, Samsung Electronics e LG controlam 70 por cento do mercado total de celulares, mas a dificuldade das empresas em deter o avanço acelerado da Apple no mercado de celulares inteligentes prejudicou seus resultados e agora desperta questões sobre as vantagens para as três de prosseguirem essa disputa.

A Apple, que ingressou no mercado de celulares apenas três anos atrás, produz um iPhone para cada 13 celulares vendidos pela Nokia, mas gera lucro total superior, com a venda desse número menor de aparelhos.

Depois dos problemas sofridos por concorrentes menores, como Motorola e Sony Ericsson, a divisão de celulares da LG registrou prejuízo recorde no segundo trimestre.

Além disso, o valor da marca da Nokia, um dos principais ativos da companhia, caiu 58 por cento no ano passado, de acordo com estudo mundial conduzido pelo grupo de pesquisa de mercado Millward Brown. E isso pode ser apenas o começo.

"Nenhuma delas sairá rapidamente desses problemas, e eles podem até piorar antes que melhorem, dentro de um ano ou dois", disse Greg Noh, analista da HMC Securities.

"Enquanto não conseguirem se diferenciar, a disputa será entre a Apple e as outras, e elas enfrentarão novos momentos difíceis, porque a concorrência só vai se acirrar, com novos fabricantes chegando ao mercado", acrescentou.

Os celulares inteligentes respondem por 20 por cento do mercado geral de celulares, mas o crescimento de 56 por cento registrado pelo segmento supera de longe o crescimento setorial de 10 por cento, de acordo com o Goldman Sachs, e esse é um dos principais motivos para que grandes empresas de diversos outros setores estejam sendo atraídas para esse mercado.

No mês passado, a Hewlett-Packard concluiu aquisição da Palm por 1,2 bilhão de dólares, enquanto muitos outros fabricantes de computadores, a exemplo da Acer, estão tentando conquistar uma fatia do mercado de celulares inteligentes.

Leia mais sobre Celulares

Siga as últimas notícias de Tecnologia no Twitter

 

Acompanhe tudo sobre:AppleCelularesEmpresasEmpresas americanasEmpresas coreanasempresas-de-tecnologiaIndústria eletroeletrônicaiPhoneLGNokiaSmartphonesTecnologia da informaçãoTelecomunicações

Mais de Tecnologia

Empresa chinesa avança em tecnologia quântica com novo termômetro de óxido de rutênio

Vídeos curtos passam a ser a principal fonte de informação dos jovens, alerta relatório

69% dos brasileiros acreditam que seus aparelhos espionam suas conversas

Segurança em xeque: Microsoft prioriza lucro e deixa governo dos EUA vulnerável

Mais na Exame