Tecnologia

Amazon encerra primeira operação drones de entregas, mas promete o serviço para novos locais nos EUA

Após uma década em funcionamento, o Prime Air sai dos céus da cidade de Lockeford, na Califórnia

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 23 de abril de 2024 às 08h52.

Última atualização em 23 de abril de 2024 às 08h53.

Tudo sobreDrones
Saiba mais

A Amazon anunciou na segunda-feira, 22, o encerramento das operações de entrega por drone em Lockeford, Califórnia, um dos primeiros locais nos Estados Unidos a testar o projeto Prime Air, que já dura uma década e aglomera também a operação de logística por aviões. A decisão faz parte de um reposicionamento de recursos visando a expansão do programa para outras cidades americanas até 2025.

Iniciado em 2013 por Jeff Bezos, fundador da Amazon, o Prime Air prometia realizar entregas autônomas de pacotes de até 2kg em 30 minutos ou menos. Apesar das expectativas, o programa enfrentou múltiplos desafios para operar consistentemente, incluindo restrições regulatórias e atrasos operacionais.

Segundo publicação no blog da empresa, há planos para iniciar operações na área de Phoenix, mais precisamente em Tolleson, Arizona. A Amazon está colaborando com a Administração Federal de Aviação (FAA) e autoridades locais para obter as permissões necessárias.

David Carbon: vice presidente do Prime Air (M Scott Brauer/Getty Images)

Enquanto fecha um capítulo em Lockeford, a Amazon segue otimista com o desenvolvimento de seu novo drone, o MK30, apresentado no último ano como uma versão menor e mais silenciosa que os modelos anteriores, capaz de voar sob chuva leve. Este drone está atualmente em fase de testes para demonstrar sua confiabilidade.

Jornada de complicações

A trajetória do programa foi marcada por demissões no ano passado, como parte de cortes mais amplos na Amazon, além de contratempos regulatórios e mudanças na liderança executiva.

Apesar dos obstáculos, a Amazon conseguiu superar uma barreira regulatória importante em outubro passado, quando a FAA flexibilizou algumas restrições, permitindo que seus drones voassem sobre vias e veículos quando necessário para completar uma rota.

Recentemente, a empresa firmou um acordo com a Embention, desenvolvedora de sistemas de piloto automático e componentes para drones, que fornecerá à Amazon hardware e software relacionados à segurança.

Acompanhe tudo sobre:AmazonDronesDeliveryCalifórnia

Mais de Tecnologia

União Europeia prepara novas acusações antitruste contra Microsoft

Apple pode ter primeira greve de sua história com funcionários do varejo

Professores gerados por inteligência artificial dão aulas em universidade de Hong Kong

Executiva da Baidu faz publicação polêmica no TikTok e pede demissão logo depois

Mais na Exame