Brasil

Amazonas flexibiliza restrições de circulação a partir de segunda

Comércio não essencial continua operando por delivery, no entanto

15/01/2021 No dia 15 de janeiro de 2021 as 11 horas e 36 minutos chegou em Teresina o avião da Força Aérea Brasileira com 9 pacientes vindo da cidade de Manaus, capital do Amazonas, depois de o sistema de saúde do estado entrar em colapso por conta da pandemia da COVID 19.  (Thiago Amaral/Amazônia Real/Divulgação)

15/01/2021 No dia 15 de janeiro de 2021 as 11 horas e 36 minutos chegou em Teresina o avião da Força Aérea Brasileira com 9 pacientes vindo da cidade de Manaus, capital do Amazonas, depois de o sistema de saúde do estado entrar em colapso por conta da pandemia da COVID 19. (Thiago Amaral/Amazônia Real/Divulgação)

AB

Agência Brasil

Publicado em 6 de fevereiro de 2021 às 10h38.

A partir de segunda-feira o estado do Amazonas terá regras menos rígidas de isolamento social. As mudanças nas medidas de circulação para conter pandemia de Covid-19 foram anunciadas nessa sexta-feira.

O toque de recolher será das 19h às 6h. O decreto que vale até domingo proibia a circulação de pessoas durante todo o dia.

O comércio só poderá realizar vendas por meio eletrônico e a entrega por delivery das 8h às 17h. Bares e restaurantes também ficam de portas fechadas, mas podem funcionar com serviço de entrega em casa ou como drive-thru.

Já indústrias e obras da construção civil podem manter as atividades, mas terão que fazer o transporte dos empregados por conta própria e evitar, assim, que os trabalhadores usem transporte público.

O governador Wilson Lima afirmou que a decisão considerou critérios científicos.

O decreto que começa a vigorar neste 8 de fevereiro é válido por oito dias.

Segundo Cristiano Costa, diretor da Fundação de Vigilância em Saúde, o estado apresenta uma desaceleração na taxa de transmissão da doença.

Apesar dessa desaceleração, o estado tem um elevado índice de óbitos. Na quinta-feira, o diretor da Vigilância em Saúde afirmou que o Amazonas tem taxa de mortalidade 3,10, enquanto a média brasileira é de 2.4.

O governador Wilson Lima disse nessa sexta-feira que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, apresentou a proposta para priorizar o Amazonas no Plano Nacional de Imunização e vacinar um terço da população até março. Isso significa imunizar 1,3 milhão amazonenses em menos de dois meses.

Cerca de 90 mil pessoas foram imunizadas. Até o momento, o Amazonas recebeu 460 mil doses da vacina contra a Covid-19.

A vacinação em Manaus chegou a ser suspensa por dois dias, após denúncias de irregularidades na imunização.

Nesta primeira fase da vacinação, estão sendo imunizados povos indígenas aldeados; trabalhadores de saúde; idosos de mais de 80 anos ou com mais de 60 anos que vivem em abrigos.

Importante lembrar que quem já tomou a vacina deve manter os cuidados para evitar a disseminação do coronavírus, como o uso de máscara, lavagem das mãos, uso de álcool em gel e evitar aglomerações.

Acompanhe tudo sobre:AmazonasCoronavírus

Mais de Brasil

Alagoas assina convênios para atrair R$ 155 milhões em investimentos em troca de incentivos fiscais

Lula critica falta de acordo entre Zelensky e Putin: 'Estão gostando da guerra'

STF dá 5 dias para Tarcísio e Alesp explicarem reembolso de procuradores por 'excesso de trabalho'

Remessas de até US$ 50 batem recorde e chegam a 16,6 milhões antes de volta da taxação

Mais na Exame