Spas oferecem bem estar para o corpo e para a mente

Massagem com argiloterapia, shiatsu na água, espumante à vontade — considerados centros médicos, spas mais renomados do país se preparam para voltar a abrir

Nas plaquinhas que marcam os lugares no restaurante do Lapinha, a 90 quilômetros de Curitiba, os sobrenomes são omitidos com as iniciais. É uma gentileza aos frequentadores mais abastados, parte considerável da clientela, às pessoas públicas e às celebridades que querem se manter no anonimato. “Quem quiser se apresentar tem toda a liberdade, mas não impomos nada”, justifica Dieter Brepohl, CEO do spa, que se prepara para reabrir no dia 15 de maio.

O discreto método impediu que se soubesse que um hóspede trazido de helicóptero para uma temporada no início do ano, por exemplo, era o presidente e um dos donos de um grande grupo industrial do setor de papel e celulose. Ou que Maria Alice S., hospedada no mesmo mês, vinha a ser a socióloga Maria Alice Setubal, a Neca, uma das herdeiras do Itaú. Não funcionou para Patrícia P., que esteve por lá no fim do Carnaval. Quem olhou para ela e não reconheceu a atriz Patrícia Pillar?

Considerados centros médicos, os spas com acompanhamento clínico podem funcionar normalmente. Ainda assim, alguns estavam fechados, seguindo a recomendação de isolamento social devido à pandemia do coronavírus. Agora, eles se preparam para reabrir. O Lapinha é um deles. Inserido numa fazenda maior do que três Parques do Ibirapuera, o spa foi fundado há 48 anos por Margarida Langer (1891-1977), avó de Brepohl. “A primeira coisa que ela criou foi a horta”, conta o neto. “Minha avó já sabia que não dá para ter saúde com alimentos ruins.”

Todos os legumes e hortaliças usados no restaurante, além de algumas frutas, são produzidos na propriedade conforme manda a agricultura orgânica. Quase 90% do que é colhido é vendido a restaurantes e afins e o mesmo vale para a manteiga e os queijos feitos com o leite das mais de 100 vacas que circulam pela fazenda — o Lapinha também produz ovos, sucos, geleias, molhos, biscoitos, granolas e pães. Sim, os hóspedes podem se regalar com tudo isso. A ingestão diária, no entanto, oscila entre 600 e 1.850 calorias, conforme a dieta prescrita para cada um. Não espere degustar, portanto, os queijos mais saborosos nem saladas repletas de azeite. Sal mal se nota, café não se toma e bebida nas refeições nem pensar.

Refeições: de 600 a 1.850 calorias por dia, conforme a dieta prescrita | Divulgação

A falta de TV nos quartos, a ausência de sinal de celular e o Wi-Fi terrível, desligado às 22 horas, impõem uma rotina espartana. Para uma caminhada de uns 8 quilômetros, todos são convidados a pular da cama por volta das 6 horas. O café da manhã é às 8 horas, o almoço ao meio-dia e o jantar às 18 horas.

Nos intervalos dá para desfrutar, entre outros atrativos, a ampla piscina a céu aberto, com raias de natação, água climatizada e hidromassagem, e a ampla academia ao lado. Tratamentos como o watsu, uma espécie de shiatsu ministrado em uma piscina, são pagos à parte. A programação diária costuma terminar com uma apresentação musical ou uma palestra, em geral sobre alimentação.

A meta de cada hóspede é traçada na consulta médica inicial. “O estresse é a queixa mais comum”, afirma Brepohl. Os pacotes de cinco noites, permanência mínima, custam a partir de 6.030 ­reais por pessoa.


Inaugurado há quatro anos, o ­Rituaali se espalha por um terreno bem arborizado de 155.000 metros quadrados nos arredores de Penedo, a 180 quilômetros do Rio de Janeiro — o nome significa “ritual” na língua da Finlândia, de onde veio a maioria dos colonos da região. O check-in é efetuado num lobby de pé-direito duplo com amplos janelões, colunas de cimento queimado, paredes revestidas de pedras irregulares e uma porta de madeira maciça que vai do chão ao teto.

A sofisticação se repete nas demais áreas comuns, nos 14 apartamentos, todos voltados para a piscina de borda infinita, e nos sete chalés, mais afastados. Cama king-size, TV a cabo, ar-condicionado, chaleira elétrica e frigobar — abastecido só com água, claro — encontram-se em todas as habitações. Algumas têm lareira e banheira de hidromassagem e a maior de todas mede 98 metros quadrados. Wi-Fi aqui também só até as 22 horas.

Acomodações: todos os apartamentos são voltados para a piscina de borda infinita | Divulgação

Reaberto no dia 29 de abril, o spa foi fundado por Marcos Trindade, sócio-diretor da empresa de comunicação FSB, e Josiani, a mulher dele. A direção está nas mãos do argentino Juan Carlos Picasso, teraupeuta cognitivo-comportamental que conduz a consulta inicial com os visitantes, individualmente. Cabe a ele dizer qual dos quatro programas oferecidos é o mais indicado.

O alvo de um deles é o estresse crônico, também motivado por pressões emocionais, o de outro são as dores físicas, o terceiro mira o estresse e a ansiedade, e o último destaca o sobrepeso. Quase todo dia, por 1 hora, os participantes de cada tratamento se reúnem para acompanhar palestras que fatalmente se convertem em terapias de grupo, nas quais volta e meia alguém se debulha em lágrimas. “A atividade física e a alimentação não são os únicos pilares de uma vida saudável”, justifica Picasso. “As emoções e os relacionamentos têm um peso enorme.”

Para relaxar: massagens, argiloterapia e banhos de imersão | Divulgação

Para o pilar da atividade física há, entre outros itens, uma ótima academia, uma quadra de tênis e duas piscinas a céu aberto — a que não tem borda infinita tem raias para natação. Atividades como hidroginástica e caminhada matinal, triviais em qualquer spa, também são oferecidas, além de massagens, argiloterapia e toda sorte de banhos de imersão. Tirando o mel que adoça uma sobremesa ou outra, a comida é totalmente vegana.

Comandada pela chef Giovanna Fraga, que não usa azeite nem para dourar uma batata, a cozinha expede pratos como almôndega de noz-pecã com ratatouille e hambúrguer de beterraba. Aqui também não se bebe durante as refeições, o sal mal é notado e morre-se de saudade do café. As plaquinhas que marcam os lugares no restaurante, entretanto, informam nome e sobrenome. E hóspedes ilustres, como a youtuber Danielle Noce, ganham reposts no Instagram do Rituaali. Os pacotes de quatro noites, permanência mínima, custam a partir de 6.360 reais por pessoa.


A genética responde por 17%. Fatores externos, como a poluição ou a gritaria do escritório, contribuem com 20%. O peso da medicina e dos medicamentos é calculado em meros 10%. Já o estilo de vida corresponde a impressionantes 53%. Eis os fatores que mais interferem na longevidade, segundo um estudo conduzido pelo pesquisador William Haskell, da Universidade Stanford, nos Estados Unidos. É o mantra do médico Luis Carlos Silveira, especialista em nutrologia, e uma ótima notícia.

“O que mais influencia também é o que mais conseguimos alterar”, explica ele. É por isso que quem se hospeda no Kurotel, fundado por ele e sua mulher, a assistente social Neusa Silveira, em 1982, costuma deixar o spa determinado a fazer alguma mudança significativa em seu estilo de vida — e não só decidido a se matricular na academia ou a diminuir o chocolate. “Se o hóspede não incorpora no dia a dia o que aprendeu conosco, os resultados obtidos logo se perdem”, avisa o médico.

Quartos: com até 54 metros quadrados, TV e cofre eletrônico | Divulgação

Nos arredores de Gramado, na serra gaúcha, o Kurotel retomou as atividades no dia 24 de abril. Ocupa duas construções interligadas com paredes brancas e detalhes pintados de verde. Os quartos, alguns deles com 54 metros quadrados, são equipados com TV, cofre eletrônico e frigobar. Este último não precisa armazenar só água e vento. Em homenagem à tradição da região em viticultura, o spa criou o próprio espumante, que costuma ser depositado numa cuba com gelo nos quartos dos visitantes mais ilustres e está à venda na recepção.

Nem se anime: embora engarrafada como se fosse um champanhe, a bebida à base de uva e maçã não contém um pingo de álcool. No restaurante, sem lugares marcados, só não entra carne vermelha. Um carrinho cheio de temperos como salsinha e alho desidratado ajuda a compensar a falta de sal da maioria dos pratos. Bebidas durante as refeições são vetadas, mas o café com leite matinal está liberado. E o Wi-Fi fica ligado 24 horas por dia.

Tratamentos: esfoliação com sal marinho, duas saunas e massagens | Divulgação

As calorias podem ser queimadas na academia, em sessões de hidroginástica, caminhadas em grupo, aulas de alongamento e por aí vai. Quem só almeja relaxar dispõe de uma piscina a céu aberto e outra coberta, duas saunas, massagens diversas e tratamentos como esfoliação com sal marinho. O chamado circuito das águas inclui três banhos terapêuticos, piscina com hidromassagem, sauna, aplicação de gelo sobre o corpo e chuveirada numa ducha que jorra uma espuma hidratante feita de uva.

Gerida por seis médicos, a clínica oferece exames complexos. Um deles detecta a perda de memória, outro diagnostica intolerâncias alimentares e um terceiro confirma reações adversas a substâncias medicamentosas. Como de praxe, a queixa número 1 da maioria é o estresse. “Nos habituamos a receber executivos que traçam o planejamento estratégico de suas empresas primorosamente”, diz Carlos Silveira. “Mas o planejamento do bem-estar sempre fica de lado.” Os pacotes de duas noites, permanência mínima, custam a partir de 1.895 reais por pessoa.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Deseja assinar e ter acesso ilimitado?

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.