• AALR3 R$ 20,06 1.88
  • AAPL34 R$ 70,18 -4.39
  • ABCB4 R$ 16,60 -1.95
  • ABEV3 R$ 14,20 -3.60
  • AERI3 R$ 3,78 -2.83
  • AESB3 R$ 10,66 -1.39
  • AGRO3 R$ 30,75 -2.81
  • ALPA4 R$ 20,98 -2.37
  • ALSO3 R$ 19,47 -3.23
  • ALUP11 R$ 26,41 0.19
  • AMAR3 R$ 2,38 -2.46
  • AMBP3 R$ 30,90 1.95
  • AMER3 R$ 22,96 -0.26
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,52 -3.33
  • ARZZ3 R$ 82,09 -0.82
  • ASAI3 R$ 15,48 -2.21
  • AZUL4 R$ 21,30 -4.01
  • B3SA3 R$ 11,54 -3.03
  • BBAS3 R$ 35,85 -1.59
  • AALR3 R$ 20,06 1.88
  • AAPL34 R$ 70,18 -4.39
  • ABCB4 R$ 16,60 -1.95
  • ABEV3 R$ 14,20 -3.60
  • AERI3 R$ 3,78 -2.83
  • AESB3 R$ 10,66 -1.39
  • AGRO3 R$ 30,75 -2.81
  • ALPA4 R$ 20,98 -2.37
  • ALSO3 R$ 19,47 -3.23
  • ALUP11 R$ 26,41 0.19
  • AMAR3 R$ 2,38 -2.46
  • AMBP3 R$ 30,90 1.95
  • AMER3 R$ 22,96 -0.26
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,52 -3.33
  • ARZZ3 R$ 82,09 -0.82
  • ASAI3 R$ 15,48 -2.21
  • AZUL4 R$ 21,30 -4.01
  • B3SA3 R$ 11,54 -3.03
  • BBAS3 R$ 35,85 -1.59
Abra sua conta no BTG

De cibersegurança a sustentabilidade: o futuro é dos criptoativos

Conheça cinco startups brasileiras que desenvolvem soluções inovadoras em diferentes mercados com uma das tecnologias que prometem maior impacto nos negócios: o blockchain
 (Divulgação/Divulgação)
(Divulgação/Divulgação)
Por Gabriel RubinsteinnPublicado em 11/03/2021 05:27 | Última atualização em 10/03/2021 21:44Tempo de Leitura: 4 min de leitura

MOSS

A fintech Moss é pioneira na negociação de créditos de carbono para pessoas físicas. As trocas são feitas em uma plataforma própria e em corretoras de criptoativos que negociam o token MCO2. Após um ano em operação, a Moss, que possui o maior estoque de créditos de carbono do mundo, de 2 milhões de toneladas, já ajudou a preservar aproximadamente 1 milhão de hectares de floresta, o equivalente à área de países como a Jamaica ou o Líbano.

Inovação abre um mundo de oportunidades para empresas dos mais variados setores. Veja como, no curso Inovação na Prática

Com uso da tecnologia blockchain, a Moss permite que pessoas físicas comprem créditos de carbono, seja como investimento, seja para compensar sua pegada de carbono. Em uma parceria com a corretora Mercado Bitcoin, a plataforma movimentou, em um único dia, o valor correspondente a 0,5% do volume anual global de créditos de carbono.

(Arte/Exame)


ZRO BANK

Primeiro banco digital do Brasil baseado em tecnologia blockchain e que permite ter contas em diferentes moedas (real, dólar, euro e bitcoin), a startup Zro Bank já soma mais de 150.000 downloads de seu aplicativo em cinco meses de operação. Só no último trimestre, o volume de operações na plataforma da startup cresceu 1.500%.

O banco digital oferece aos clientes uma conta que permite fazer transações em real e bitcoin, e, futuramente, também em ouro, dólar, euro e outros criptoativos. O Zro Bank, sediado em Recife, também oferece cartão de débito, conversão instantânea de moedas, emissão de boletos e transferências bancárias.

A empresa, que tem uma equipe de 60 colaboradores, pretende abrir uma rodada de captação de investimentos em breve, com foco em sua expansão fora do país. A internacionalização, já em andamento, é conduzida pela consultoria Deloitte.


ORIGINALMY

Focada em soluções de cibersegurança para a gestão de dados e na autenticação de informações, a OriginalMy foi eleita uma das startups mais inovadoras da Europa e recebeu reconhecimento da ONU e de conselhos europeus.

Desde 2015, a empresa fundada por brasileiros e hoje sediada na Estônia leva soluções como certificação em blockchain de arquivos, documentos e e-mails, preservação de provas online, assinatura digital avançada, identidade digital e verificação de identidade.

Em 2020, o faturamento cresceu 450%. Mais de 20.000 provas online foram coletadas por escritórios e advogados pela ferramenta PACWeb e 500.000 documentos foram certificados em blockchain.

(Arte/Exame)


PARFIN

A startup tem soluções para empresas que desejem oferecer serviços ligados a criptoativos. A Parfin opera em um modelo crypto as a service (“criptoativos como serviço”), conectando empresas a ofertas de produtos e serviços do mercado de criptoativos. Isso permite, por exemplo, que um banco ofereça aos clientes a compra e a venda de bitcoins, sem a necessidade de cuidar da operação ele mesmo.

Em março, a Parfin recebeu aporte de 7,4 milhões de reais em uma rodada seed (inicial) liderada pelo Valor Capital, fundo que já investiu em empresas como Stone e Gympass.


GREEN MINING

A Green Mining une blockchain e sustentabilidade, e desenvolveu uma tecnologia de logística reversa inteligente para recuperar embalagens após o consumo de forma eficiente e levá-las de volta para o ciclo de produção. Ou seja, a empresa coleta o lixo reciclável de determinados produtos e o leva de volta à empresa, para que seja reciclado ou reutilizado.

O sistema de rastreamento da Green Mining, baseado em blockchain, garante que o material coletado seja de fato enviado para reciclagem. Atualmente, a empresa trabalha com companhias como Ambev, Unilever e Grupo Pão de Açúcar.

(Arte/Exame)