Live icon 

ELEIÇÕES 2022:  

Lula e Bolsonaro vão disputar o segundo turno Veja agora.

Cultura | Nobres e plebeus

Da realeza britânica ao sambista que foi parar na comédia, as dicas culturais da edição
 (Foto/Divulgação)
(Foto/Divulgação)
M
Marcelo Orozco

Publicado em 28/03/2019 às 05:20.

Última atualização em 25/07/2019 às 16:01.

CINEMA

Rainhas ofuscadas

Duas Rainhas trata da relação das primas Mary Stuart,rainha da Escócia, e Elizabeth I, rainha da Inglaterra, e da rivalidade entre elas e as nações que comandavam no século 16. Pelo assunto — nobreza britânica — e pelas atuações de Saoirse Ronan (Mary) e Margot Robbie (Elizabeth), seria produção para bom-bar no Oscar. Os realizadores só não contavam com o sucesso maior de A Favorita, de tema aparentado, que deu a Olivia Colman o Oscar de Melhor Atriz como a rainha Anne. Duas Rainhas teve apenas duas indicações, sem vitórias. Sobrou como o Patinho Feio, independentemente de sua qualidade.

Duas RainhasDireção de Josie Rourke | Com Saoirse Ronan, Margot Robbie |Estreia em 4/4


CINEMA

Além dos folclores

Algumas personalidades ficam marcadas por uma realização que obscurece outras. Assim é com Mussum (1941-1994), celebrado em vida como um dos Trapalhões no programa da TV Globo nos anos 70 e 80, e cultuado ainda mais na internet que não conheceu — e por gerações que nunca o viram em vida. Antes e além disso, Antônio Carlos Bernardes Gomes foi percussionista e vocalista do grupo Os Originais do Samba. Sua personalidade expansiva o arrastou para a comédia, enquanto a vida pessoal contrastava com o fanático por “mé” dos esquetes. Esse e outros lados estão no documentário que estreia agora.

Mussum, um Filme do Cacildis | Direção de Susanna Lira | Com Mussum | Estreia em 4/4


LIVRO

Centenário da Bauhaus

O dia 1o de abril marca o centenário de fundação da Bauhaus, possivelmente a escola de design, arte e arquitetura mais significativa do século 20. Com pensamento livre, moderno e ousado, a entidade fundada em Weimar (depois transferida para Dessau e Berlim) existiu por apenas 14 anos, exterminada em 1933 pelo nazismo na Alemanha. Mas as referências que deixou ainda são muito influentes. Para comemorar esses 100 anos, a alemã Taschen lançou uma edição atualizada da retrospectiva visual Bauhaus. Em maio, a mesma editora traz Bauhausmädels. A Tribute to Pioneering Women Artists, sobre as mulheres da escola.

BauhausPor Magdalena Droste | Taschen |R$ 184 (amazon.com.br)


MÚSICA

Ermitão pop

Bill Pritchard não é um astro. De idade incerta (provavelmente na casa dos 60 anos) e carreira invisível em relação a paradas de sucesso, sua reputação de ermitão já lhe garantiu o rótulo de “J.D. Salinger do pop”, associação ao recluso autor do livro O Apanhador no Campo de Centeio. O jeito difícil não diminui os esforços e feitos do britânico. No novo álbum, Midland Lullabies, Pritchard entrega melodias pop bem construídas, numa linha que pode lembrar Elton John ou Paul McCartney quando o arranjo é predominantemente de piano e voz. A faixa Lullaby destaca-se pela beleza sensível.

Midland Lullabies | Por Bill Pritchard | Tapete Records | Disponível em streaming