Startup reduz burocracia em obras de imóveis e fatura R$ 1 milhão

O modelo de negócios da catarinense Predialize é atender clientes numa fase dura da vida deles: a de lidar com dissabores de uma obra num imóvel
 (Divulgação/Divulgação)
(Divulgação/Divulgação)
Por Mariana DesidérioPublicado em 24/02/2022 05:41 | Última atualização em 25/02/2022 12:08Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A startup Predialize, de Florianópolis, nasceu com o objetivo de melhorar a experiência de um cliente numa fase que costuma dar dor de cabeça: depois da obra de um imóvel. A empresa mantém um aplicativo para o manual do imóvel, um documento obrigatório no enxoval da construtora aos moradores de um imóvel novo.

Ainda entregues em folhas de papel ou em tecnologias anacrônicas, como CDs, os manuais acabam tendo pouca serventia, apesar da relevância — ali devem estar informações como fornecedores autorizados e prazos de garantia das peças. O objetivo do app é reunir tudo isso. “Somos uma plataforma focada na experiência do cliente”, diz Jean Sacenti, fundador da Predialize. 

Conquiste um dos maiores salários no Brasil e alavanque sua carreira com um dos MBAs Executivos da EXAME Academy.

Em dois anos, a Predialize conquistou 70 clientes, entre eles as construtoras Tenda, Gafisa e Cyrela. Para elas, a startup vende dados agregados de hábitos dos consumidores, como os problemas achados num imóvel novo — a ideia é minimizar o risco de isso se repetir. “Queremos melhorar o relacionamento entre clientes e construtoras”, diz. Com tudo organizado de forma mais acessível, a meta é também reduzir contatos entre proprietários e construtoras por dúvidas simples. Em alguns casos, o app reduziu as chamadas em 17%, diz a empresa. “Em vez de mandar um e-mail, o proprietário tira a dúvida no app”, diz. 

Engenheiro civil, Jean Sacenti já trabalhou na construtora Odebrecht e na desenvolvedora de soft­wares Softplan. O capital inicial do negócio veio da venda de um carro de Sacenti. Em um ano e meio, o negócio gerou 1 milhão de reais em vendas. Em 2022, a meta é triplicar o valor e conquistar 200 clientes, com mais de 300 obras. Daqui a três anos, a projeção é faturar 13 milhões de reais, diz Sacenti. Para sustentar esse crescimento, a Predialize está prestes a fechar sua primeira rodada de investimentos.