Revista Exame

Hora da mudança

A Panerai lança modelo feito de material reciclado e adota várias outras medidas em prol da sustentabilidade

Submersible QuarantaQuattro eSteel (Divulgação/Divulgação)

Submersible QuarantaQuattro eSteel (Divulgação/Divulgação)

DS

Daniel Salles

Publicado em 2 de maio de 2022 às 10h00.

Última atualização em 2 de maio de 2022 às 12h38.

À primeira vista, os modelos QuarantaQuattro eSteel, nova linha da Panerai, diferem pouco dos de outros modelos da coleção Submersible da incensada relojoaria italiana. A diferença é que eles simbolizam o compromisso da marca em desenvolver estratégias para um futuro sustentável, incluindo a redução de resí-duos e a reutilização de material. Daí que 72 gramas dos novos relógios, ou 52% do peso total, correspondem a material reciclado. Já a pulseira principal é composta de um tecido feito de PET reciclado, enquanto a segunda pulseira é de borracha reciclada.

O chamado eSteel, que dá corpo aos novos relógios, tem as mesmas propriedades do aço convencional, incluindo produtos químicos de idêntico comportamento, estrutura física e resistência à corrosão. Ou seja, torna os lançamentos perfeitamente aptos para mergulho. Convém registrar que a Panerai nunca havia usado material cerâmico polido e que a superfície de alto brilho da moldura unidirecional também é inédita. E repare que a cor do mostrador é mais intensa nas extremidades, o que confere um efeito envolvente.

O Panerai Submersible QuarantaQuattro eSteel Verde Smeraldo, uma das novidades mais chamativas, tem mostrador polido dessa cor com marcadores de horas e pontos luminescentes. A caixa tem 44 milímetros de diâmetro — são 4,2 de espessura — e moldura rotativa anti-horária. O movimento é mecânico, automático, e a resistência embaixo d’água é de 300 metros. O modelo estará à venda no e-commerce brasileiro por 64.700 reais, sob reserva.

Mudanças no dia a dia foram anunciadas pela marca. A sede implantou novos processos que visam reduzir a zero as emissões de carbono, entre outros objetivos. Foram instalados painéis solares, 36 sensores geotérmicos e mais uma bomba de calor — tudo para evitar o uso da eletricidade. A relojoaria também aderiu à Watches & Jewellery Initiative 2030. O objetivo do programa é diminuir as emissões de gases de efeito estufa com a neutralidade de carbono como meta para 2050. Até 2025, 30% das coleções da Panerai serão produzidas com material reciclado.

Dada a proximidade em relação aos ocea-nos, a marca se aliou ao Instituto Oceanográfico Intergovernamental, uma comissão da Unesco, para criar o programa Ocean Literacy. Por meio dele, a Panerai lançou uma campanha envolvendo 100 universidades mundo afora, inclusive no Brasil. O intuito é mostrar aos estudantes como uma marca de luxo pode contribuir seriamente com a sustentabilidade do planeta.

Acesse aqui para mais informações sobre o SubMersible eSteel

 

Acompanhe tudo sobre:Casualguia-de-estilo

Mais de Revista Exame

Nove itens essenciais para equipar a sua adega

De Ferraz de Vasconcelos a Seattle

Vira-latismo

Venda de vinhos premium no Brasil escapa de crises e deve crescer

Mais na Exame