De novato a líder: após IPO, ações do Grupo Vamos subiram 130% em 8 meses

Líder em locação de caminhões e máquinas, a Vamos melhorou indicadores financeiros e operacionais na pandemia e coroou a boa fase com IPO na bolsa no início deste ano
 (Leandro Fonseca/Exame)
(Leandro Fonseca/Exame)
Karla Mamona
Karla Mamona

Publicado em 20/10/2021 às 22:00.

Última atualização em 26/10/2021 às 12:33.

Com cinco anos de existência, o Grupo Vamos é líder em locação de caminhões e máquinas no Brasil, com cerca de 30% do mercado. A empresa, que faz parte da holding Simpar, nasceu como uma unidade da JSL. Apesar de novata, a Vamos apresenta números expressivos. No segundo trimestre deste ano, teve lucro líquido de 100 milhões de reais, um aumento de 2,5 vezes ante o mesmo período de 2020 — e um recorde da companhia. 

No ano passado, em meio à pandemia, melhorou indicadores operacionais e financeiros, da frota locada ao crescimento em receita líquida, lucro líquido e Ebitda. A receita futura contratada cresceu 44%. Além disso, a empresa já atingiu a marca de 5% do total de emplacamentos de caminhões no Brasil. Gustavo Couto, CEO da ­Vamos, diz que o segmento no país ainda é muito incipiente. Atualmente, no Brasil, cerca de 1% da frota é alugada. Em países como os Estados Unidos, o percentual chega a 25%. “Nosso modelo tem alcançado bastante adesão por clientes de vários segmentos. É um setor que está começando.” Além da locação, a empresa atua em duas áreas: concessionárias e seminovos, o que leva à formação de um ecossistema com sinergias. Em janeiro passado, o grupo chegou à bolsa com oferta que levantou 1,2 bilhão de reais. Em oito meses, as ações subiram 130%. “Estamos muito animados para os próximos cinco anos. Temos cerca de 20.000 ativos e chegaremos a 100.000.” 


(Publicidade/Exame)