Revista Exame
Acompanhe:

A disputa no céu, e o buraco sem fim

Três reportagens especiais nesta edição reforçam o compromisso da EXAME em construir um ambiente empreendedor saudável e produtivo

Balneário Camboriú: a disputa pelo prédio mais alto mostra a força de empresas regionais Brasil afora (Leandro Fonseca/Exame)

Balneário Camboriú: a disputa pelo prédio mais alto mostra a força de empresas regionais Brasil afora (Leandro Fonseca/Exame)

L
Lucas Amorim

19 de janeiro de 2023, 06h00

O ano de 2023 começou agitado na política e nos negócios. Em Brasília, como se sabe, um grupo de vândalos invadiu e depredou prédios públicos pedindo por um golpe. Na Faria Lima, foi revelado um rombo de até 40 bilhões de reais no balanço da Americanas, mais tradicional varejista brasileira. Os dois casos levaram a redação da EXAME a se debruçar, nos últimos dias, sobre temas complexos, de múltiplos ângulos e interpretações, e extrair deles informações e lições que impactam a vida de todos os nossos leitores. A cobertura, como sempre, começou ágil em nossos canais digitais, e chega agora à revista mensal em duas reportagens especiais.

Coordenada pelo editor Luciano Pádua, a editoria de macroeconomia explica como os ataques levaram a uma nova coesão política que pode ser benéfica para o andamento de reformas de que o Brasil tanto precisa. Uma pesquisa exclusiva EXAME/IDEIA mostra que, embora divididos sobre o futuro, os brasileiros rejeitam categoricamente o tipo de violência visto no dia 8 de janeiro. Concordam, ainda, que os responsáveis precisam ser severamente punidos. E querem olhar para a frente. 

Já o time da EXAME Invest, coordenado por Graziella Valenti, se debruçou nos últimos dias sobre a crise da Americanas e seus desdobramentos. Nesta edição, uma reportagem especial conta detalhes exclusivos de como o buraco foi descoberto em tempo recorde por Sérgio Rial, que ficou pouco mais de uma semana no cargo de CEO da varejista. Mostra, ainda, como a empresa preferiu aproveitar momentos de juros baixos para investir em crescimento, e não para arrumar a bagunça em que se meteu. E aponta possíveis caminhos para o futuro, em um mercado desafiador pelas margens baixas e por uma difícil integração entre os diversos canais, numa variedade de produtos que vai de bananas a televisores. 

São reportagens que reforçam o compromisso da EXAME em contar grandes histórias, mas sobretudo em ser um ator da construção de um ambiente empreendedor mais saudável e mais produtivo. A boa notícia neste início de ano é que, abaixo da densa camada de desafios do país, uma leva de empresas e de regiões segue prosperando. Uma reportagem de Maria Clara Dias editada por Leo Branco revela a curiosa disputa entre construtores locais por erguer, no litoral catarinense, o prédio mais alto do Brasil. É uma queda de braço que reforça a capacidade empreendedora de empresas regionais. São companhias que, num futuro próximo, podem chegar aos grandes centros, abrir o capital — e duelar com gigantes que percam o passo da história ou se afundem em seus próprios problemas. 


(Publicidade/Exame)