MELHORES E MAIORES 50 anos: Sabesp acumula premiações — e pioneirismo vem de longa data

A Sabesp completa cinco décadas sendo pioneira no meio ambiente e no mercado financeiro

Operação da Sabesp: empresa mira abertura de capital em 2024 (Divulgação/Divulgação)
Operação da Sabesp: empresa mira abertura de capital em 2024 (Divulgação/Divulgação)
Karina Souza
Karina Souza

Repórter Exame IN

Publicado em 14 de setembro de 2023 às 06h00.

Última atualização em 14 de setembro de 2023 às 07h07.

A Sabesp, assim como MELHORES E MAIORES, completa 50 anos em 2023. Ainda assim, demorou para que os caminhos de ambas se cruzassem. Foi só em 2016 que a empresa ficou em primeiro lugar no ranking de Saneamento e Meio Ambiente. Hoje, acumula quatro premiações, tendo vencido também em 2017, 2019 e 2020 e se consolidando como maior campeã do segmento da história.

“Uma empresa que só opera concessão tem data para acabar. A arte aqui é conseguir novos contratos e trabalhar para gerar mais eficiência, processos mais ágeis e trazer uma visão de mercado capaz de entender que a companhia está preparada para o futuro”, diz André Salcedo, CEO da Sabesp.

O pioneirismo vem de longa data. Em 2002, a empresa foi a primeira estatal do Brasil a entrar no Novo Mercado criado pela B3, sendo também a primeira empresa listada em Nova York. Em 2023, o mercado financeiro está, de novo, atento aos próximos passos da companhia, que está em vias de ser privatizada, um movimento que, segundo gestoras, pode acontecer em 2024.

O processo de preparação já começou. A busca por mais eficiência e integração de processos foi apenas o começo. A Sabesp ainda criou uma divisão de transformação digital, ligada diretamente à presidência, de olho em aproveitar os dados de 28 milhões de clientes e de 375 unidades espalhadas pelos municípios de São Paulo. Também tirou do papel uma unidade ESG, que tem como diretriz dar os principais guias para o que a empresa busca na agenda -socioambiental.

“O desafio, ao olhar para a frente, é capturar o valor que a empresa tem em diferentes dimensões. A gente reviu processos, centralizou toda a lógica de pensar investimentos, juntou dentro desse mesmo núcleo a área de inovação. Então todo o nosso capex futuro tem uma pegada de inovação, que estava dispersa, para pensar soluções para a frente”, diz o CEO.

A companhia também traça a rota de melhoria das estações de tratamento, com investimentos em automação e em redução de perdas. Hoje, a Sabesp tem um dos menores níveis de perda do setor, com 27% de tudo que é produzido. No Brasil, esse número gira em torno de 40% a 50%, nas contas da empresa. Não à toa, a companhia investe hoje mais de 1 bilhão de reais por ano em redução de perdas.

Manter a companhia com um alto grau de eficiência e prepará-la para o futuro, deixando cada vez mais claro a usuários e investidores o diferencial da Sabesp: é esse o legado que a empresa quer deixar para o futuro.

Acompanhe tudo sobre:MM2023

Mais de Revista Exame

Mais na Exame