VTEX Day: as tendências do evento que você deve levar para sua empresa

Do live commerce a expansão de novas tecnologias digitais, veja as principais tendências debatidas durante evento de inovação e varejo digital
Scott Galloway : autor de best-sellers participou da edição de 2022 do VTEX Day (VTEX/Divulgação)
Scott Galloway : autor de best-sellers participou da edição de 2022 do VTEX Day (VTEX/Divulgação)
M
Maria Clara DiasPublicado em 15/04/2022 às 11:00.

Depois de dois dias de programação, chegou ao fim, nessa semana, o VTEX Day, principal evento de inovação, varejo e transformação digital da América Latina. Durante os dias 12 e 13 de abril, a grade do evento se dedicou à discussão das principais tendências envolvendo esses temas, e contou com a participação de grandes nomes como o do empresário Abílio Diniz, David Schonthal, escritor e professor na Kellogg School of Management e também Lewis Hamilton, heptcampeão de Fórmula 1.

Mais uma vez, o foco da edição esteve em traçar os principais caminhos para o futuro dos negócios, colocando em pauta as movimentações envolvendo o varejo tradicional, o e-commerce e a inovação em diferentes setores. A EXAME, que esteve presente no evento, reuniu as três principais tendências discutidas no VTEX Day para empresários interessados em ficar antenados no futuro e na nova economia. Veja abaixo.

1. Social commerce

Empresas como o Grupo SOMA, Samsung, C&A e Lupo apresentaram suas histórias de sucesso envolvendo o social commerce, com destaque especial para o live commerce, modelo de vendas ao vivo que promete ser a evolução do e-commerce como o conhecemos. Em ascensão no Brasil, o live commerce tem se tornado uma importante ferramenta de vendas para marcas que buscam ampliar a interação e os pontos de contato com os clientes. Diversas empresas já estão realizando lives como uma espécie de "laboratórios" de testagens com apresentação de produtos ao vivo e que envolvem vendedores e influenciadores. É uma aposta de gigantes do varejo e também de startups e, ao que tudo indica, será uma realidade comum daqui em diante.

2. Tudo digital

A omincanalidade continua sendo uma das principais apostas do varejo para o futuro. O ponto de discussão, no entanto, tem sido como amarrar todas as pontas de uma operação sem deixar de lado a atenção central no cliente. Na opinião dos especialistas que debateram o tópico no evento, nenhum negócio, de qualquer segmento ou porte, terá capacidade de sobreviver se for incapaz de criar uma operação que ofereça boa experiência e integração entre os canais digitais ou físicos.

3. WEB 3.0

A Web 3.0, ou terceira onda da internet, promete revolucionar a maneira como empresas e marcas se relacionam com seus consumidores no ambiente digital. A proposta dessa nova tecnologia é dar mais segurança aos usuários, melhorando as transações financeiras e uso e controle de dados pessoais na internet.

Essa segurança, porém, vem junto de uma descentralização da informação e também da experiência. Em termos práticos, o usuário passará a ter muito mais controle e domínio durante a sua navegação, podendo até mesmo proibir anúncios ou sugestões de busca. É um desafio e tanto para empresas, que agora colocam à prova sua capacidade de inovar seus pontos de contato com o cliente no meio digital.

Entre as empresas que já estão de olho nessa tendência e nas tecnologias que a acompanham — como o blockchain, o metaverso e os NFTs — estão o Boticário, Renner, Ambev, Coca-Cola, Havaianas, Mercado Livre e Reserva.