Sebrae fecha parceria com Magalu para digitalizar pequenas empresas

A entidade vai ajudar os empreendedores a utilizar a plataforma Parceiro Magalu, que permite que pequenos lojistas vendam no marketplace da varejista

O Sebrae anunciou uma nova parceria com a varejista Magazine Luiza. O acordo prevê que a entidade irá ajudar empreendedores a utilizar a plataforma Parceiro Magalu, que digitaliza a operação de pequenos varejistas, integrando suas lojas ao marketplace da companhia. 

A parceria com será realizada, inicialmente, em Pernambuco e São Paulo. Depois, será expandida para um estado em cada região do país e, por fim, está atuando em todo o território nacional. 

O Parceiro Magalu foi uma iniciativa lançada pela varejista no começo da crise causada pelo novo coronavírus. A plataforma oferece suporte para microempreendedores individuais (MEI) e empresas com faturamento até 5 milhões de reais por ano. 

Os empreendedores podem cadastrar seus estoques de produtos no site e aplicativo do Magazine Luiza, se conectando com os mais de 20 milhões de clientes da companhia. As entregas são feitas pelos Correios, sem custo para o lojista. Até 31 de julho, empresa cobra uma taxa de 3,99% sobre cada venda para cobrir os custos da operação.

“Levamos alguns anos para digitalizar o Magalu, e fomos bem sucedidos. Agora queremos digitalizar o Brasil, sobretudo os pequenos empreendedores — um propósito ambicioso que ganha ainda mais relevância num momento como este”, afirma Frederico Trajano, presidente do Magalu. 

Com a parceria, a empresa ganha acesso aos milhares de pequenos empreendedores que utilizam a rede do Sebrae em todo o país.  “Contar com o talento e conhecimento do Sebrae nessa jornada nos dá mais segurança de que chegaremos lá”, diz Trajano.  

Além de fazer a conexão, o Sebrae vai disponibilizar aos empreendedores consultorias de inovação tecnológica, para que se preparem para o mundo digital. Em nota, Carlos Melles, presidente do Sebrae, disse que a entidade tem como missão durante a pandemia ajudar a modernizar e fortalecer o pequeno negócio tradicional, que atua na loja física e agora está com dificuldade de chegar ao cliente. 

“Apostamos nesta parceria com o Magalu para oferecer uma ferramenta fácil e eficiente para ampliar as vendas e reforçar os caixas das empresas durante a pandemia”, afirma o presidente.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.