PreparaTODOS vira REfuturiza e vai investir R$ 40 mi em pontos físicos

Até o final do ano, a iniciativa tem a meta de chegar aos 450 mil alunos e abrir o primeiro campus em junho
 (Divulgação/Bruno Aranha)
(Divulgação/Bruno Aranha)
Por Luísa GranatoPublicado em 10/02/2022 12:00 | Última atualização em 10/02/2022 12:48Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Enquanto a área de educação se tornou mais digital com a pandemia, a Refuturiza, ex-PreparaTODOS, empresa parte do Grupo Cartão de TODOS, faz um movimento contrário: a empresa vai investir cerca de R$ 40 milhões em três anos para a criação de pontos físicos.

Inscreva a sua startup no programa de potencialização do boostLAB, o hub de negócios para empresas tech do BTG Pactual 

Segundo o CEO Rafael Pinho, o presencial é um diferencial para o público da empresa: os clientes do cartão do grupo que pertencem às classes C e D. A iniciativa oferece cursos profissionalizantes, preparatórios e cursos de idiomas com um custo baixo, com preços a partir de R$9,99.

“Construímos a empresa em 2018 e nos juntamos ao grupo com o objetivo de, por meio da educação, auxiliar esse público a gerar renda e construir uma visão de futuro. Queremos ajudar nos pequenos passos de carreira, seja em uma empresa ou empreendendo”, diz.

A mudança da marca foi inspirada pelo termo criado pelo presidente do grupo, Altair Vilar, durante a pandemia para falar do foco das empresas em reformular novos caminhos para o sucesso no futuro com ações no presente.

O Grupo junta seis empresas de diferentes setores, além da Refuturiza, a Cartão de TODOS, AmorSaúde, MaisTODOS, TODOS Empreendimentos e Alô TODOS.

Em dois anos e meio de empresa, eles já concentraram mais de 250 mil alunos na plataforma. Ao olhar para o grupo, que tem 20 milhões de clientes ativos, eles viram uma oportunidade de ampliar o serviço de educação se inspirando no formato presencial das mais de 300 franquias.

“Temos um potencial gigantesco de gerar impacto quando olhamos para dentro do grupo. O ponto físico entre na estratégia e será um lugar para encontrar pessoas, dividir experiências, ter acesso a uma internet potente”, afirma.

Até o final do ano, eles esperam chegar aos 450 mil alunos e abrir o primeiro campus em junho. Até 2024, a meta é tentar chegar a 100 pontos físicos.

Renata Fonseca, Diretora da Refuturiza, explica que os espaços foram elaborados em conjunto com funcionários e alunos, validando a utilidade de um apoio físico. Ela também aponta que os cursos terão atualizações com trilhas alinhadas com as necessidades do futuro do trabalho.

“Foi um processo de descoberta, agora teremos a escola de tecnologia, com curso de desenvolvedor, a escola de negócio e uma escola de empreendedorismo. Essa será a espinha dorsal do programa”, diz Fonseca.

Uma novidade que também está na esteira da marca é mais contato com o mercado para oferecer oportunidade de emprego para os alunos.

“O próprio grupo é um lugar para ajudar os alunos a se colocarem no mercado. Temos mais de 100 posições por mês para nossos alunos nas empresas do ecossistema, como as franquias, clínicas, a fintech e o Energia para Todos”, diz a diretora.