Google destina US$ 800 mi para PMEs e iniciativas contra o coronavírus

O presidente Sundar Pichai anunciou o compromisso da companhia em ajudar pequenas e médias empresas, organizações de saúde, governos e agentes sanitários

Para ajudar na crise causada pela pandemia de coronavírus, o Google anunciou na tarde desta sexta-feira, 27, um pacote de 800 milhões de dólares para apoiar pequenas e médias empresas (PMEs), organizações de saúde, governos do mundo todo e agentes sanitários. O comunicado foi feito pelo presidente da empresa, Sundar Pichai, no blog da companhia

Para as pequenas e médias empresas do mundo todo, que sofrem para manter suas operações com o menor número de pessoas circulando, Pichai direcionou 340 milhões de dólares em créditos no Google Ads. Empresas que tiverem utilizado a plataforma no último ano automaticamente receberão créditos, que vão poder ser usados até o final de 2020. 

Em nota, a empresa diz esperar que “essa iniciativa ajude esses pequenos negócios a manter contato com seus clientes durante esse período de distanciamento social.” Não foi divulgado quanto do total será direcionado para empresas brasileiras, mas elas serão contempladas pelo programa de assistência. 

O Google criou também um fundo de 200 milhões de dólares para apoiar ONGs e instituições financeiras de todo o mundo, com o objetivo de facilitar o acesso a crédito para pequenos negócios. A companhia também vai liberar 20 milhões em espaço publicitário para anúncios de utilidade pública voltados para PMEs, como fundos de ajuda humanitária e programas governamentais. 

Além disso, a empresa está destinando o equivalente a 250 milhões de dólares em espaço publicitário para a Organização Mundial da Saúde (OMS) e para mais de 100 agências governamentais em todo o mundo divulgarem informações sobre como evitar a disseminação da doença. No começo do mês passado, o Google já havia se comprometido a doar 25 milhões de dólares. 

Para auxiliar instituições acadêmicas e pesquisadores, a empresa de tecnologia está oferecendo 20 milhões de dólares em créditos na plataforma de nuvem Google Cloud. “O objetivo é aproveitar a capacidade e a infraestrutura de computação do Google para impulsionar o estudo de tratamentos e vacinas, rastrear informações críticas e identificar novas formas de combater o coronavírus”, escreveu Pichai na publicação. As informações sobre como se inscrever no programa de créditos estão no site Google for Education. 

Pichai também colocou os profissionais do Google e da Alphabet à disposição para ajudar tecnicamente na produção de equipamento de proteção pessoal (EPP) e de aparelhos hospitalares usados para tratar pacientes com covid-19. Nos Estados Unidos, a empresa trabalha com a Magid Glove & Safety para impulsionar a produção de 2 a 3 milhões de máscaras nas próximas semanas, que serão doadas para a fundação do Centro de Controle e Prevenção de Doenças americano.

Os funcionários da Alphabet também se disponibilizaram para auxiliar fábricas de equipamentos hospitalares na produção de ventiladores pulmonares, essenciais para o tratamento de casos graves de coronavírus, com seus conhecimentos nas área de engenharia, logística e saúde.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.