Acompanhe:

Esta agência de passeios de helicóptero começou com 1.300 reais

Fundada por dois empreendedores de apenas 19 anos, empresa espera fechar 2016 com 1 milhão oferecendo passeios sofisticados com helicóptero e iate.

Modo escuro

Continua após a publicidade
Os sócios Bruno Sarti La Laina (esq.) e Guilherme Guimarães Gracio , donos da High Class  (Divulgação)

Os sócios Bruno Sarti La Laina (esq.) e Guilherme Guimarães Gracio , donos da High Class (Divulgação)

M
Mariana Desidério

Publicado em 11 de novembro de 2016 às, 06h00.

Última atualização em 1 de dezembro de 2016 às, 17h41.

São Paulo – A High Class oferece um serviço super chique: passeios de helicóptero com direito a coquetel, jantar romântico, noite em hotel cinco estrelas e até uma voltinha de iate. O foco são casais buscando um ambiente diferente para um pedido de casamento ou aniversários.

Porém, não é porque o serviço é sofisticado que o início da empresa exigiu um mega investimento. Na realidade, o negócio começou com 1.350 reais tirados das economias de dois jovens empreendedores. Quando iniciaram a empresa, os sócios Bruno Sarti La Laina e Guilherme Guimarães Gracio tinham nada mais que 19 anos de idade.

“A gente trabalhava desde os 16 anos na empresa da minha mãe, que tem um serviço de loucuras de amor. E sempre conversávamos sobre ter um negócio nosso”, conta La Laina.

A ideia da High Class veio em 2011. Os dois decidiram abrir um negócio que oferecia cestas de café da manhã, serenatas e telegrama animado. Por último, incluíram o passeio de helicóptero entre os serviços.

“Achamos que seria um serviço com pouca procura, algo bem esporádico”, lembra o empreendedor. Os sócios investiram então mil reais para criar um site para o negócio, 200 reais em cartões de visita e mais 150 em anúncios do Google.

Para a surpresa dos dois, um dos primeiros clientes do negócio ligou interessado justamente no serviço de helicóptero. “A parte do site que falava dos helicópteros estava quebrada, então ele ligou para pedir mais informações”, conta.

Os sócios Guilherme Guimarães Gracio (esq.) e Bruno Sarti La Laina, donos da High Class

Os sócios Guilherme Guimarães Gracio (esq.) e Bruno Sarti La Laina, donos da High Class

A procura abriu os olhos da dupla para o serviço que realmente tinha potencial em seu negócio – justamente aquele no qual eles menos apostavam. “Percebemos que não existia no mercado serviços desse tipo com anúncio na internet.”

A ideia vingou e os dois focaram em passeios sofisticados. Hoje, os pacotes da High Class vão desde uma voltinha de meia hora pela cidade de São Paulo, até uma ida ao litoral, com direito a jantar, coquetel e passeio de iate. Os preços ficam entre 1.200 e 8.990 reais, valores que podem ser parcelados.

Por conta das parcerias que a empresa estabeleceu, La Laina garante que os valores estão bem abaixo dos encontrados no mercado. Ele lembra ainda que também faz passeios personalizados, de acordo com a vontade do cliente.

“Nosso foco é encantar o cliente. Fazer do passeio um momento inesquecível, afinal lidamos com datas muito especiais”, afirma o empreendedor.

Vista panorâmica de São Paulo, durante passeio da High Class

Vista panorâmica de São Paulo, durante passeio da High Class

A empresa atende tanto o cliente AAA, com altíssima renda, até aquele que vai parcelar o passeio e se planejar durante o ano para ter um momento especial.

A aposta tem dado certo. Fundada em 2011 com um investimento inicial quase irrisório, a empresa tem hoje um faturamento médio mensal de 120 mil reais e deve fechar 2016 com 1 milhão de reais.

A expectativa para 2017 é dobrar esse valor. Para isso, a High Class pretende explorar outro serviço: o de transporte executivo de helicóptero. “Queremos atingir também aquele cliente que usa o helicóptero porque quer ganhar tempo. Em geral esse público é muito mal atendido pelas empresas de táxi aéreo”, afirma.

Últimas Notícias

Ver mais
Empreendedor Individual deve enviar declaração até dia 30 de junho; veja como fazer
seloPME

Empreendedor Individual deve enviar declaração até dia 30 de junho; veja como fazer

Há um ano

Além das salas de aula: 4 maneiras de aprender mais sobre empreendedorismo
seloPME

Além das salas de aula: 4 maneiras de aprender mais sobre empreendedorismo

Há um ano

Bolsonaro sanciona Pronampe; estimativa de crédito para MPEs é de R$ 50 bi
seloPME

Bolsonaro sanciona Pronampe; estimativa de crédito para MPEs é de R$ 50 bi

Há um ano

3 cases de inovação aberta - o que podemos aprender com eles?
seloPME

3 cases de inovação aberta - o que podemos aprender com eles?

Há um ano

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais