PME

Como pensam e agem os jovens empreendedores

Nick Tart, que entrevistou dezenas de crianças que faturam com negócios próprios, revela qual é o perfil de quem começa a empreender desde cedo

Trabalho duro, perseverança, apoio, ingenuidade e paixão fazem parte da história dos jovens empreendedores

Trabalho duro, perseverança, apoio, ingenuidade e paixão fazem parte da história dos jovens empreendedores

DR

Da Redação

Publicado em 9 de março de 2011 às 12h20.

São Paulo – Brincar de boneca, jogar bola e ir à escola. Essa é a rotina da maior parte das crianças. Mas algumas deixaram os brinquedos de lado para fazer tarefas de gente grande. “Muitas crianças são empreendedoras e não sabem disto”, diz Nick Tart, que entrevistou jovens empresários de sucesso para o livro 50 Interviews: Young Entrepreneurs – What it Takes to Make More Money than Your Parents (50 Entrevistas: Jovens Empreendedores – Como fazer mais dinheiro do que seus pais), ainda sem previsão de publicação no Brasil.

Além de algum dinheiro na conta, todos os jovens têm características em comum – “trabalho duro, perseverança, apoio, ingenuidade e paixão”, explica Tart. Mas, para ele, o segredo do sucesso está naquilo que eles têm de único, diferente.

Tart gosta de citar a história do brasileiro Joe Penna. Pouco falado no Brasil, o jovem é famoso na web com vídeos e conhecido como MysteryGuitarMan. O que começou como brincadeira acabou virando negócio. “Ele cuida do sexto canal com mais assinaturas no YouTube. Sua comunidade com 1,6 milhão de fãs é impressionante”, conta.

Em entrevista a EXAME.com, Tart fala sobre como essas crianças conseguiram chegar tão longe e, antes dos 18 anos, ganhar mais do que os próprios pais.

EXAME.com – Há um padrão de comportamento entre as crianças que empreendem?

Nick Tart - Com certeza existem similaridades impressionantes: trabalho duro, perseverança, apoio, ingenuidade e paixão. Mas eu fiquei ainda mais surpreso em perceber como cada um deles tem características e perspectivas muito únicas. Conversar com essas crianças me fez abrir os olhos. Elas são incrivelmente motivadas e maduras, mas normais ao mesmo tempo. Na primeira vez que escutei falar sobre esses jovens empreendedores, eles pareciam maiores do que na vida real – como celebridades nos jornais e na TV – mas a verdade é que eles são crianças normais que fazem as coisas de um jeito um pouco diferente.

EXAME.com – Há também uma similaridade em como esses negócios começaram?

Tart - Muitos começam como simples trabalhos. Ben Weissenstein fundou o Grand Slam Garage Sales depois de ajudar sua mãe com as vendas de garagem aos 14 anos. Hoje, ele está abrindo franquias em vários estados e aparecendo na televisão. Outras crianças começaram vendendo coisas para os amigos na escola – de tudo, desde chiclete até figurinhas do Pokémon.

Nick Tart: empreendedorismo em alta entre os mais jovens

EXAME.com – Quais são as principais lições que se pode tirar dessas histórias?

Tart – A gente nota a importância de ter ação. A principal diferença entre os jovens que estão no livro de todos os outros no mundo é que eles acreditaram tanto nas ideias que foram capazes de colocá-las em prática. O fato de terem começado tão jovens fez com que eles conseguissem ver os erros mais cedo, aprender com eles e ter sucesso a partir disto.

EXAME.com – De onde veio a ideia de entrevistar esses jovens empreendedores?

Tart - Muitas crianças são empreendedoras e não sabem disto. Eles começam com pequenas barracas de limonada ou pães para conseguir um dinheiro extra. Eu, pessoalmente, comecei um negócio de cortar grama quando eu tinha 12 anos. Isso abriu meus olhos para o que os jovens são capazes de fazer como empreendedores. Quando fiquei mais velho, fui para a faculdade e deixei o negócio de lado, mas continuei ouvindo histórias de adolescentes que ganharam dinheiro com seus próprios sites e empresas.


No verão de 2009, conheci um editor local e contei sobre a ideia de entrevistar os principais jovens empreendedores do mundo para um livro. Ele gostou. A próxima coisa que fiz foi recrutar meu melhor amigo, Nick Scheidies, para me ajudar a escrever e editar o livro. Nossa primeira entrevista com Emil Motycka, um garoto que construiu um império de seis dígitos cortando grama na cidade de Longmont, no Colorado.

EXAME.com – E como foi feita a seleção?

Tart - Nós tentamos reunir os jovens empreendedores de maior sucesso no mundo. A primeira vez que ouvi falar na fortuna da jovem de 20 anos Catherine Cook’s, do MyYearbook.com [uma rede social parecida com o Facebook], eu sabia que teríamos que entrevistá-la. Mas o dinheiro não foi o único fator. Algumas pessoas que entrevistamos foram selecionadas pelo tamanho dos seus erros. O Andrew Fashion [que criou uma empresa de desenvolvimento para internet], por exemplo, conseguiu 2,5 milhões de dólares aos 21 e perdeu tudo aos 22. É uma história inacreditável. Agora, é claro, ele está voltando ao topo.

EXAME.com – Os pais costumam ficar incomodados com o sucesso precoce dos filhos no mundo dos negócios?

Tart – Eu não sei porque os pais não foram entrevistados. Mas eu tenho certeza que o dinheiro não está no topo da lista de preocupações deles. A maioria dos pais guiou ativamente os filhos na empreitada, para garantir que eles não fossem confiantes a ponto de perderem tudo ou repetissem se ano no colégio.

EXAME.com – Você acredita que mais e mais jovens têm se interessado pelo empreendedorismo?

Tart – Não há dúvidas de que o empreendedorismo está em alta. A internet possibilitou que qualquer pessoa sozinha fizesse um negócio global. Além disso, sites como o Twitter e o Facebook, tornaram mais fácil para os empreendedores terem conhecimentos e construírem comunidades. Jovens que cresceram com a internet a entendem de uma maneira que a maioria dos pais não consegue. Eles também estão percebendo que ter um trabalho não é uma aposta certa, como costumava ser. Portanto, sim, eu acredito que mais e mais jovens estão escolhendo o empreendedorismo.

EXAME.com – Alguns pesquisadores, como o professor Scott Shane, defendem a tese de que o empreendedorismo está no sangue. Você concorda?

Tart – Qualquer um pode ter sucesso como um empreendedor se realmente colocar isso na cabeça. Mas ter alguns traços hereditários podem ajuda durante a jornada, como ser um batalhador, um líder ou ser mais inteligente. Se essas características forem genéticas, então eu acho que o empreendedorismo também é.

Acompanhe tudo sobre:EmpreendedoresEmpreendedorismoPequenas empresasStartups

Mais de PME

Mais na Exame